Banca de DEFESA: CAROLINE MAPURUNGA AOQUI

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAROLINE MAPURUNGA AOQUI
DATA: 30/07/2015
HORA: 15:30
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

Desenvolvimento e validação de métodos analíticos para quantificação de
brometo de propantelina por espectrofotometria UV-Vis e CLAE-PI: aplicação
em hidrogéis transdérmicos


PALAVRAS-CHAVES:

Brometo de propantelina, estudos de validação, hidrogel, CLAE-PI, Sialorréia.


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O BP age inibindo a motilidade gastrointestinal, diminuindo a secreção de ácido gástrico e inibindo a ação da acetilcolina em terminações nervosas pós-ganglionares do sistema nervoso parassimpático. Portanto, ele tem um papel significativo no tratamento de sialorreia, já que as glândulas salivares são estimulados pela vasopressina, aldosterona e pelo sistema nervoso autônomo. Neste contexto, apropantelina se destaca pelas seguintes propriedades para o manejo da sialorréia: é um composto amônio quartenário – o que dificulta sua absorção pela barreira hematoencefálica, é um anticolinérgico que tem afinidade pelos receptores nas glândulas salivares – sendo mais seletivo que os alcalóides naturais da beladona, boa absorção cutânea e os eventos adversos são dose dependentes. Sua determinação quantitativa em hidrogéis transdérmicos é importante para
garantir os efeitos terapêuticos desejados. O objetivo desta pesquisa foi desenvolver, validar e comparar métodos espectrofotométricos e cromatográficos na determinação quantitativa da PB em hidrogéis transdérmicos. Neste trabalho, os hidrogéis transdérmicos foram preparados com diferentes matrizes poliméricas. O método espectrofotométrico foi validado utilizando água purificada como solvente em 284 nm. O método CLAE-PI foi validado usando AcclaimTM 120 C18 (150 x 4,6 mm,
5 um). A fase móvel foi constituída por ACN-Água (55:45 v/v) com 100 mM butanossulfonato de sódio, a um fluxo de 1,0 mL.min-1. A detecção por UV foi efetuada a 284 nm. Todas as análises foram realizadas a 25 °C. As curvas de calibração foram lineares no intervalo de concentração 2,8-28,0 μg.mL-1 com um coeficiente de correlação melhor do que 0,9998, e 1,17-300,0 μg.mL-1 com um coeficiente de correlação de 1. O limite de detecção e quantificação foram de 0,63 μg.mL-1 e 2,11 μg.mL-1 para o método de UV-Vis e 0,12 μg.mL-1 e 0,43 μg.mL-1 para o método CLAE-PI respectivamente. A precisão intracorrida e intercorrida foram expressos como DPR abaixo de 5% para ambos os métodos. A exatidão obtida encontra-se na faixa de 95,51-104,13% para o método de UV-Vis e 82,7-93,4% para o método CLAE-PI. Os métodos de UV-Vis e CLAE-PI foram rápidos, precisos e exatos. Estatisticamente, não houve diferença significativa entre os métodos analíticos propostos neste estudo (p> 0,05).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1201781 - FERNANDA NERVO RAFFIN
Interno - 2048067 - ANTONIO MANUEL GOUVEIA DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - FRANCELINE REYNAUD - UFRJ
Notícia cadastrada em: 29/07/2015 17:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao