Banca de DEFESA: MANOELA TORRES DO RÊGO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MANOELA TORRES DO RÊGO
DATA: 19/06/2015
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA DO EXTRATO AQUOSO, FRAÇÕES, RUTINA E ÁCIDO CLOROGÊNICO IDENTIFICADOS NOS FRUTOS DA Hancornia speciosa Gomes (APOCYNACEAE)


PALAVRAS-CHAVES:

Hancornia speciosa, rutina, ácido clorogênico, Anti-inflamatório, Apocynaceae.


PÁGINAS: 149
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Hancornia speciosa Gomes (Apocynaceae), conhecida popularmente por ‘mangabeira’, é usada na medicina popular para o tratamento de desordens inflamatórias, hipertensão, dermatites, diabetes, doenças hepáticas e desordens estomacais. No que diz respeito aos frutos da H. speciosa, a etnobotânica indica o uso principalmente para o tratamento de inflamação e tuberculose, entretanto não há relatos de estudos que comprovem sua possível atividade biológica. O estudo tem como objetivo identificar as moléculas bioativas do extrato aquoso dos frutos da H. speciosa Gomes e também investigar a inibição do extrato aquoso, frações e compostos rutina e ácido clorogênico nos processos inflamatórios. O extrato aquoso dos frutos da H. speciosa foi preparado por decocção, posteriormente submetido a um fracionamento por meio de partição líquido-líquido e os metabolitos secundários identificados por Cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a arranjos de diodos (CLAE-DAD) e Cromatografia líquida de arranjo de diodo acoplada ao espectrofotômetro de massa (CL-DAD-EM). As propriedades anti-inflamatórias do extrato aquoso, frações diclorometano (CH2Cl2), acetato de etila (AcOEt) e n-butanol (n-BuOH), bem como a rutina e o ácido clorogênico foram investigadas usando modelos in vivo e in vitro. Testes in vivo compreenderam edema de orelha induzido por xilol, onde foi mensurado a formação do edema; peritonite induzida por carragenina onde foi avaliado os leucócitos totais em 4h e bolsa de ar induzida por zimosam que foi mensurado a contagem total de leucócitos e contagem diferencial em 6, 24 e 48 horas. Os testes in vitro avaliaram os níveis de citocinas IL-1β, IL-6, IL-12 e TNF-α usando ELISA a partir do modelo de peritonite induzido por carragenina. Os resultados demonstraram a presença de rutina e ácido clorogênico no extrato aquoso dos frutos da H. speciosa por CLAE-DAD e CL-DAD-EM. O extrato aquoso e frações, bem como a rutina e ácido clorogênico inibiram significativamente o edema de orelha induzido por xilol e reduziram a migração celular em modelos animais, tanto na peritonite induzida por carragenina como na bolsa de ar induzida por zimosam. Além disso, foi observada a redução dos níveis de expressão de citocinas IL-1β, IL-6, IL-12 e TNF-α. Este é o primeiro estudo que demonstra o efeito anti-inflamatório do extrato aquoso dos frutos da Hancornia speciosa contra diferentes agentes inflamatórios em modelos animais, sugerindo que suas moléculas bioativas, especialmente rutina e ácido clorogênico contribuem, em parte, para o efeito anti-inflamatório do extrato aquoso. Estes resultados suportam a utilização da H. speciosa na medicina popular e revelam que o extrato aquoso apresenta um potencial terapêutico para o desenvolvimento de um fitomedicamento com propriedades anti-inflamatórias.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2330188 - GERLANE COELHO BERNARDO GUERRA
Externo à Instituição - LUIZ ALBERTO LIRA SOARES - UFPE
Presidente - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Notícia cadastrada em: 09/06/2015 16:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao