Banca de DEFESA: FRANCISCO ALEXANDRINO JÚNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO ALEXANDRINO JÚNIOR
DATA: 31/03/2015
HORA: 10:00
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE HIDROGÉIS DE ÁLCOOL POLIVINÍLICO CONTENDO
ANFOTERICINA B PARA O TRATAMENTO DE LEISHMANIOSE TEGUMENTAR
AMERICANA


PALAVRAS-CHAVES:

Anfotericina B. Leishmaniose Tegumentar Americana.    Hidrogéis.  Tratamentotópico.Liberação controlada.


PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A leishmaniose é uma infecção parasitária, emergente e não controlada, que por usa elevada incidencia está presente no programa de doenças tropicais negligenciadas da Organização Mundial da Saúde (OMS). Adicionalmente, esta é considerada, neste programa, a segunda maior causa de perda de anos de vida útil devido a óbito ou debilidade, chegando em 2004 a quase 2 bilhões de anos de vida útil perdidos em todo o mundo. Anualmente, registra-se 1,3 milhão de casos, dos quais aproximadamente 1 milhão corresponde a sua forma tegumentar (LTA). Apesar desta contundente realidade, atualmente não há uma proposta de tratamento ou medicamento que adeque simultaneamente eficacia terapêutica, boa relação custo-benefício, fácil produção e  eventos adversos negligenciaveis. Com o intúito de elaborar uma abordagem alternativa e inovadora para o tratamento da LTA, esse trabalho propôs o desenvolvimento e a avaliação de uma formulação tópica do tipo curativo polimérico, baseado em um hidrogél de álcool polivinílico contendo anfotericina B (AmB). Após a produção dos hidrogéis foi observado que a AmB incorporada pode estar entre as cadeias poliméricas sob a forma de dispersão molecular. Essa localização alterou o mecanismo de intumescimento, de um transporte limitado pela difusão (caso I) para anômalo, permitindo que o sistema intumesça mais e mais rápido, quando comparado com o mesmo sem o ativo. No entanto, não foi observada a liberação imediata da AmB, sendo esta liberada de forma contínua e seguindo o modelo o cinético de Higuchi. O hidrogél contendo AmB
demonstrou ter eficiente atividade leishmanicida nas primeiras 24 horas. Além disso, apresentou impermeabilidade a microrganismos, e permeabilidade ao vapor d’água compatível com as necessidades da pele em seu estado lesionado, o que indica uma possível habilidade de prevenir infecções secundárias e manter um ambiente favorável ao processo cicatricial. Estes resultados demonstram que os hidrogéis são sistemas promissores para a liberação controlada de AmB e um potencial tratamento tópico para a LTA.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1178187 - ERYVALDO SOCRATES TABOSA DO EGITO
Externo ao Programa - 1149440 - ROSANGELA DE CARVALHO BALABAN
Externo à Instituição - VIVIANE DE OLIVEIRA FREITAS LIONE - UFRJ
Notícia cadastrada em: 17/03/2015 16:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao