Banca de DEFESA: CANDIDA MARIA SOARES DE MENDONCA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CANDIDA MARIA SOARES DE MENDONCA
DATA: 25/03/2014
HORA: 10:00
LOCAL: Sala 2 do PPgCF
TÍTULO:

ESTUDO DE COMPATIBILIDADE E ESTABILIDADE TÉRMICA DO ÁCIDO RETINÓICO E HIDROQUINONA POR TERMOGRAVIMETRIA


PALAVRAS-CHAVES:

Termogravimetria• Hidroquinona• Ácido Retinóico


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A Termogravimetria (TG) e a Calorimetria Exploratória Diferencial (DSC) são técnicas usadas em estudos farmacêuticos para a caracterização de fármacos, determinação da pureza, compatibilidade de formulações, identificação de polimorfismo, avaliação da estabilidade, decomposição térmica de fármacos e formulações farmacêuticas. A Hidroquinona (HQ) e produtos contendo HQ têm sido largamente utilizados como agentes despigmentantes para o clareamento da pele. Os retinóides, que também exibem propriedades despigmentantes, são compostos que apresentam em sua estrutura o núcleo básico da vitamina A. O ácido retinóico (AR) é um exemplo de despigmentante dessa classe e é muito utilizado em formulação cosméticas. Para auxiliar no desenvolvimento de formulações contendo os ativos AR e HQ o Formulário Nacional da ANVISA (2005 e 2012) propõe formulações com diferentes excipientes como: álcool cetílico, álcool cetoestearílico, parabenos (metil e propil), glicerina, dipropilenoglicol, imidazolidiniluréia, ciclometicona, BHT, estearato de octila, EDTA, oleato de decila, hidroxipropimetilcelulose. Os agentes despigmentantes e excipientes foram analisados por TG e DSC. As curvas dinâmicas foram obtidas através de uma termobalança SHIMADZU, modelo DTG-60, usando cadinho de alumina, em uma razão de aquecimento de 10 ºC min-1 no intervalo de temperatura 25-900 ºC sob a atmosfera de nitrogênio com fluxo de 50 mL min-1. As massas das amostras foram aproximadamente 10 ± 0,05 mg. As curvas DSC foram obtidas usando o calorímetro SHIMADZU, modelo DSC-60, em cadinho de alumínio sob razão de aquecimento de 10 ºC min-1, em uma temperatura de 25-400 ºC. As curvas termogravimétricas e calorimétricas foram analisadas usando o software TASYS da SHIMADZU. Neste estudo não foram encontradas interações entre AR e os seguintes excipientes: MTP, PPB, IMD, ODC, EDTA, CCM, ETO, HPMC. No entanto, foram encontradas interações com os seguintes excipientes: AC, ACT, BHT, GLI e DPG. Para a HQ foram encontradas interações com a IMD e DPG. As interações permanecem mesmo alterando as proporções das misturas, bem como nas ternárias. Desta forma, os estudos realizados com os excipientes do formulário nacional de 2012 da ANVISA mostram que esses novos excipientes não interagem por termogravimetria com os ativos deste estudo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1679481 - ANA PAULA BARRETO GOMES
Externo à Instituição - MARTA MARIA DA CONCEIÇÃO - UFPB
Externo ao Programa - 1754360 - WALDENICE DE ALENCAR MORAIS
Notícia cadastrada em: 14/03/2014 12:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao