Banca de DEFESA: SEBASTIAO ALVES MAIA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SEBASTIAO ALVES MAIA
DATA: 29/08/2012
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO/UFRN
TÍTULO:

GRUPO ESCOLAR DUQUE DE CAXIAS FESTAS ESCOLARES: UMA CELEBRAÇÃO DE MÚLTIPLOS SIGNIFICADOS - 1949 – 1962


PALAVRAS-CHAVES:

Cultura escolar. Festas escolares. Grupo escolar. Comunidade. República. Modernidade. Política.


PÁGINAS: 169
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

O trabalho aqui apresentado teve como objetivo investigar uma importante instituição escolar da cidade de Macau/RN. Essa instituição que foi inovadora, no seu contexto social e pedagógico, foi pesquisada à luz dos parâmetros da história cultural (CASTRO, 1997). Uma escola que foi criada no início do século XX, mas especificamente no ano de 1923, o país ainda vivia a efervescência da implantação da nova ordem política nacional – A República. Procuramos estabelecer uma metodologia que durante toda a narrativa, mantivesse uma relação entre o geral e o particular, ou seja, tanto nos aspectos relativos aos movimentos da história da educação brasileira, quanto nos aspectos das festas do Grupo Escolar Duque de Caxias, elegendo um recorte temporal que vai de 1949 a 1962. A análise e a interpretação das fontes documentais coletadas e a consequente construção de parcela da história da instituição e as suas singularidades no que diz respeito às festas escolares, são as versões lidas e relidas, escritas e reescritas com alterações, inclusões, em parceria com a orientadora ou no solitário trabalho de produzir uma dissertação de mestrado acadêmico. O objetivo deste trabalho é esclarecer como ocorriam a realização das festas escolares no Grupo Escolar em destaque e como elas foram fundamentais para o funcionamento das relações políticas, sociais e culturais no entorno do educandário. A análise e interpretações das fontes documentais escolar, dos documentos das instituições, das entrevistas abertas, informações orais, legislação da educação e dos educandários, jornais da época e documentos oficiais, relacionados à temática e que formaram o corpus documental, nortearam-se pelas obras de Souza (1998), Juliá (2001), Castro (1997), Kossoy (2001) Saviani (2005), Escolano (1992) e Carvalho (1990). Por se tratar de uma instituição de ensino, a categoria de análise central é cultura escolar, elencando uma categoria específica que são as festas escolares. Na narrativa, reconstituem-se os eventos festivos nas categorias cívicas, solenes e recreativas, além de elementos de formação que se evidenciam no discurso da educação moderna. Para isso, buscamos compreender que, nas práticas cotidianas da escola, havia um método de atuação que seguia as orientações do Departamento de Educação. Tais orientações eram dadas através das normas e decretos editados e adentravam-se nos discursos em torno das iniciativas empreendidas para difundir as novas práticas pedagógicas, e dentro delas, nos momentos adequados, as professoras dedicavam um tempo das suas aulas para explanar sobre as datas festivas e suas organizações que viriam a seguir.  Essas constatações foram certificadas pela documentação elencada e pelas entrevistas abertas, e nos apontou para o modelo escolar propugnado pelo Grupo Escolar Duque de Caxias, que era a nova ordem republicana.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6347203 - MARLUCIA MENEZES DE PAIVA
Interno - 1149638 - ANTONIO BASILIO NOVAES THOMAZ DE MENEZES
Interno - 1149346 - MARIA ARISNETE CAMARA DE MORAIS
Notícia cadastrada em: 23/08/2012 09:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao