Banca de DEFESA: CLAUDIA ROSANA KRANZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: CLAUDIA ROSANA KRANZ

DATA: 01/07/2011

HORA: 14:00

LOCAL: A DEFINIR

TÍTULO:

Os jogos com regras na educação matemática inclusiva.


PALAVRAS-CHAVES:
Educação Inclusiva. Educação Matemática. Jogos com regras. Desenho Universal.

Educação Inclusiva. Educação Matemática. Jogos com regras. Desenho Universal.


PÁGINAS: 0

GRANDE ÁREA: Ciências Humanas

ÁREA: Educação

RESUMO:

O presente estudo teve por objetivo analisar a utilização dos jogos com regras no trabalho com Educação Matemática em classes regulares inclusivas do Ensino Fundamental I, de escolas da rede municipal de ensino de Natal/RN, atentando para o processo de aprendizagem e desenvolvimento de todos os alunos, principalmente daqueles com deficiência. O referencial teórico utilizado se constitui das obras de Vygotsky e de outros autores da perspectiva histórico-cultural, bem como de pesquisadores na área da Educação Inclusiva e da Educação Matemática. Valeu-se, na investigação, das diretrizes da pesquisa qualitativa, com a realização de entrevistas semiestruturadas junto a coordenadores pedagógicos e professores das escolas envolvidas e de observações de aulas, buscando nos discursos dos envolvidos e nas suas práticas pedagógicas elementos para refletir acerca da Educação Matemática Inclusiva, da utilização de jogos com regras – desde seus objetivos, a participação dos alunos com deficiência, as mediações pedagógicas, até sua acessibilidade – e da aprendizagem dos alunos com deficiência. Os resultados da análise apontaram que as concepções que norteiam as práticas pedagógicas inclusivas ainda remetem ao paradigma médico-clínico, entendendo o aluno com deficiência a partir de suas incapacidades; que os professores se utilizam, em sua maioria, dos jogos matemáticos com regras em suas aulas, mas que a mediação pedagógica, no decorrer dessas atividades, ainda precisa ser qualificada para que eles possam, efetivamente, contribuir para a aprendizagem e para o desenvolvimento de todos os alunos; que os alunos com deficiência nem sempre participam dos jogos com os demais colegas; que os jogos com regras raramente são acessíveis; e que os princípios do Desenho Universal não são adotados nas salas de aula integrantes da pesquisa. Desse modo, percebe-se que ainda há muito a ser feito para que a Educação Matemática possa contribuir para a aprendizagem e para o desenvolvimento de todos os alunos; entre essas ações, recomenda-se a formação continuada de professores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1359083 - IRAN ABREU MENDES
Interno - 1543391 - CLAUDIANNY AMORIM NORONHA
Interno - 1149542 - FRANCISCO RICARDO LINS VIEIRA DE MELO
Externo à Instituição - SIOBHAN VICTORIA HEALY - UNIBAN
Notícia cadastrada em: 13/06/2011 09:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao