Banca de DEFESA: MARIA DA CONCEICAO FARIAS DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: MARIA DA CONCEICAO FARIAS DA SILVA

DATA: 31/03/2011

HORA: 09:00

LOCAL: A DEFINIR

TÍTULO:

O Curso Normal de 1º Ciclo, em Assu/RN (1951-1971).


PALAVRAS-CHAVES:

História. Curso Normal. Formação. Mulheres-professoras. 

 


PÁGINAS: 175

GRANDE ÁREA: Ciências Humanas

ÁREA: Educação

RESUMO:

A proposta deste estudo é a análise da história do Curso Normal de 1º Ciclo em Assu, Rio Grande do Norte, desde a sua criação pela Lei Estadual n. 621, de 06 de dezembro de 1951, até a sua extinção, com a implementação do Curso de Magistério, pela Lei Federal n. 5.692 de 11 de agosto de 1971. O objetivo é responder como se constituíram o funcionamento e as práticas educativas de tal instituição, formadora de professoras, ao longo de sua existência. Para tanto, são analisados documentos da instituição em destaque, entrevistas, legislações da educação, jornais e livros da época, norteando-se pelos estudos de Chartier (1991), Elias (2001), Certeau (2001), Frago (1995), Magalhães (2005) e Julia (2001).  Em se tratando de uma instituição de ensino, a categoria de análise central é a de cultura escolar, a qual subsidiou o recorte das categorias específicas do estudo, a saber: o ingresso no Curso Normal, a colação de grau, a Semana da Normalista em Assu e elementos formativos. O Curso Normal de 1º Ciclo formava professores em nível ginasial, diferenciando-se das escolas de formação docente de 2º Ciclo. Foi fundado em Assu como Curso Normal Regional e denominado de Ginásio Normal em 1961. No recorte temporal pesquisado, formaram-se 279 mulheres e 07 homens como Regentes de Ensino Primário, evidenciando-se como uma escola frequentada, praticamente, pelo sexo feminino. Na narrativa, reconstitui-se a inserção das alunas no Curso Normal, enfocando os processos de matrícula e os Exames de Admissão; os eventos de formatura, permeados de discursos sobre a função social da professora e a festa Semana da Normalista, que valorizava o sentimento de pertença das estudantes em relação à profissão. Por meio de peças de teatro escolar, de práticas formadoras de comportamentos e dos estágios das alunas na escola primária, elementos de formação são recompostos, evidenciando-se o discurso da educação moderna, entremeado com valores da cultura cristã católica para a educação feminina. A recomposição da identidade histórica dessa instituição ora próxima, ora singular, quando confrontada com outras escolas de formação docente, traz uma contribuição para a configuração da história da educação escolar norte-rio-grandense. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CHARLITON JOSE DOS SANTOS MACHADO - UFPB
Presidente - 1149346 - MARIA ARISNETE CAMARA DE MORAIS
Interno - 1149455 - MARIA INES SUCUPIRA STAMATTO
Externo à Instituição - MARIA LÚCIA DA SILVA NUNES - UFPB
Interno - 6347203 - MARLUCIA MENEZES DE PAIVA
Notícia cadastrada em: 24/02/2011 11:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao