Banca de DEFESA: SHIRMENIA KALINE DA SILVA NUNES EUSSEN - (Retificação)

Uma banca de DEFESA foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: SHIRMENIA KALINE DA SILVA NUNES EUSSEN

DATA: 30/06/2010

HORA: 14:30

LOCAL: MULTIMEIOS (NEPSA)

TÍTULO:

SINAES: as diferentes faces da avaliação da UFRN.


PALAVRAS-CHAVES:

PALAVRAS-CHAVE: Estado avaliador. Ensino superior. Políticas de avaliação.


PÁGINAS: 208

GRANDE ÁREA: Ciências Humanas

ÁREA: Educação

RESUMO:

 

O presente trabalho intitulado SINAES: as diferentes faces da avaliação na UFRN tem como objetivo analisar a configuração que a política nacional de avaliação para o ensino superior vem assumindo na UFRN. Partimos do pressuposto de que, nos últimos anos, tem havido uma oscilação entre as concepções de avaliação que, na lógica da gestão pública, tem privilegiado uma perspectiva que se apresenta como promotora da qualidade, ora com aspectos reguladores, ora formativos. O texto discute o uso da edificação de novos instrumentos de avaliação para o ensino superior situando-a no âmbito das novas demandas contextuais na reforma do Estado em que este passa a promover e mensurar a qualidade com base nos valores da excelência e da competitividade. Esse movimento decorre da redefinição do papel do Estado, que vem assumindo feições de Estado avaliador. A partir de uma retrospectiva histórica das iniciativas do governo no campo da avaliação, explicitamos as características das políticas de avaliação delineadas ao longo das últimas décadas. Servimo-nos de um referencial teórico-metodológico que visa analisar as múltiplas determinações que configuram uma determinada realidade a partir de um movimento maior de totalidade. Nesse sentido, são identificadas conexões e rupturas que surgiram, ao longo da história das políticas de avaliação voltadas para o ensino superior verificando os seus determinantes, visando explicar melhor a realidade. Para investigarmos o objeto de estudo, utilizamos, como procedimentos metodológicos, a pesquisa bibliográfica e documental, as entrevistas semiestruturadas e a obervação não-participante. O estudo revelou haver, na instituição, diferentes práticas de avaliação e que, antes da implantação do SINAES, já havia uma cultura de avaliação institucional, mais participativa e democrática que se contrapõe à rigidez presente na autoavaliação instituída pelo SINAES e, seguida, pela Comissão Própria de Avaliação. Verificamos, também, que a implantação do SINAES, na URFN, vem sendo realizada de forma muito lenta e a amplitude e complexidade do processo avaliativo têm contribuido para dificultar a sua implementação em todas as dimensões previstas pelo MEC. Ainda foi possível evidenciar que, em sua operacionalização, o SINAES tem assumido uma postura de avaliação muito mais normativa e voltada para o estabelecimento de rankings entre cursos e intituições do que em estabelecer uma avaliação mais qualitativa do ensino. No que se refere à avaliação do Curso de graduação submetido às três dimensões de avaliação propostas pelo SINAES (autoavaliação, Avaliação de Cursos e ENADE) não foi possível verificar uma efetiva integração entre as modalidades de avaliação realizadas.Os resultados são considerados isoladamente, em uma visão, apenas, parcial do curso avaliado o que descaracteriza a proposta do SINAES como um sistema de avaliação global.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2346663 - ALDA MARIA DUARTE ARAUJO CASTRO
Interno - 6350650 - MAGNA FRANCA
Interno - 349752 - ROSALIA DE FATIMA E SILVA
Externo à Instituição - MELANIA MENDONÇA RODRIGUES - UFCG
Notícia cadastrada em: 26/07/2010 10:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao