Banca de DEFESA: RAQUEL DUARTE FERNANDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAQUEL DUARTE FERNANDES
DATA : 23/02/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Webconferência
TÍTULO:

Educação e literatura infantil: a recepção docente à leitura de contos de fadas africanos


PALAVRAS-CHAVES:

Contos de fadas africanos . horizonte de expectativa . desautomatização do olhar . processo de identificação


PÁGINAS: 148
RESUMO:

A dissertação “Educação e Literatura Infantil: a recepção docente à leitura de contos de fadas africanos” investiga a recepção de professoras que atuam nos anos iniciais da rede pública de Natal/RN a esses contos. Especificamente, visa conhecer o horizonte de expectativas das professoras em relação a esse gênero literário; identificar se as leituras desses contos ancestrais africanos propiciam a desautomatização do olhar das professoras em relação aos contos de fadas provenientes do continente europeu; analisar o processo de identificação estética das professoras aos contos trabalhados. Entende-se contos de fadas africanos como sendo narrativas mágicas, repletas de simbologias que, com ou sem a presença de fadas, envolvem os diversos aspectos característicos do gênero, mas, sobretudo, enaltecem elementos culturais africanos, permitindo a valorização da história desses povos. Defende-se a presença desses contos na escola com vistas à educação antirracista. Para tanto, é necessário que os professores e as professoras conheçam essa literatura e saibam lidar com novas situações advindas da implementação da Lei nº 11.645/2008, que estabelece a inclusão no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena. Enquanto referencial teórico do estudo, destacam-se os trabalhos de Bettelheim (2007), Amarilha (1997) e Coelho (2012), para refletir sobre os contos de fadas e as suas características; Sisto (2012), Debus (2013) e Padilha (2007) para discutir sobre os contos de fadas africanos; Martins e Cosson (2008) e Burlamaque (2006), no sentido de refletir sobre a formação do professor e a literatura; Jauss (1979) e Zilberman (2008), para discutir sobre a estética da recepção. A pesquisa possui abordagem qualitativa, com procedimentos de intervenção formativa, realizada de forma remota. Constou das seguintes etapas: entrevista inicial, sessões de leitura e entrevista final. Compõem o corpus literário, os seguintes títulos: O jovem caçador e a velha dentuça (2016), de autoria de Lucílio Manjate e ilustrações de Bruna Mancuso; o conto Marama e o rio dos crocodilos(1992), sem autoria; A noiva da caveira (2018), de Elphinstone Dayrell e ilustrações de Marina Ávila; o conto As pérolas de Cadija (2005), do autor Joel Rufino dos Santos e ilustrações de Claudia Scatacchia; Kalinda, a princesa que perdeu os cabelos (2016), com autoria e ilustrações de Celso Sisto. Participaram da pesquisa 05 (cinco) professoras que atuam no ensino fundamental, anos iniciais. As sessões de leitura foram sistematizadas conforme a experiência de leitura por andaime (GRAVES; GRAVES, 1995) e acontecerem via Google Meet. Para a coleta de dados, utilizou-se as gravações das entrevistas e sessões. Os resultados do estudo demonstram que as professoras apresentaram conhecimentos restritos acerca dos contos de fadas africanos, de modo que a participação delas na pesquisa acarretou a ampliação de seus horizontes de expectativa e o processo de desautomatização do olhar, sendo constatadas situações de estranhamentos. Quanto ao processo de identificação estética, verificou-se a predominância da relação texto-vida. Observou-se, de sobremaneira, falas direcionadas à uma educação antirracista, bem como a importância do estudo do tema de modo a agir/reagir em situações de preconceito, além da necessidade de investimentos na mediação pedagógica com o gênero em estudo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1801922 - ALESSANDRA CARDOZO DE FREITAS
Externo à Instituição - ANA CAROLINA PERRUSI ALVES BRANDÃO - UFPE
Externa ao Programa - 1037169 - JULIANA DE MELO LIMA
Externa ao Programa - 350833 - MARLY AMARILHA
Externa à Instituição - NORMA SANDRA DE ALMEIDA FERREIRA - UNICAMP
Notícia cadastrada em: 11/02/2022 17:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao