Banca de DEFESA: PEDRO LUIZ DOS SANTOS FILHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PEDRO LUIZ DOS SANTOS FILHO
DATA : 24/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: https://meet.google.com/pkk-gosn-nzf
TÍTULO:

EXPERIÊNCIAS VIVIDAS POR FILHAS OUVINTES E PAIS SURDOS: UMA FAMÍLIA, DUAS LÍNGUAS


PALAVRAS-CHAVES:

Família Coda. Narrativas da experiência. Bilinguismo. Libras.


PÁGINAS: 191
RESUMO:

O objetivo desta tese foi investigar a experiência vivida por uma família Coda nos processos de interação cotidiana. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada na perspectiva dos estudos (auto) biográficos Ferrarotti (1988); Josso (2004); Delory-Momberger (2008); Passeggi (2010; 2014). O levantamento e construção dos dados foram realizados em 2018 e 2019, na cidade de NatalRN. Contamos com a colaboração de uma família constituída por pais surdos e duas filhas ouvintes, que nos concederam entrevistas sobre as experiências vividas em família. Os critérios para escolha dos participantes foi a composição familiar e por serem falantes da Libras como língua natural, utilizada no seio familiar. Como procedimento metodológico de recolha e análise das fontes recorremos à entrevista narrativa Jovchelovitch; Bauer (2014). Pela diversidade das questões envolvidas, o arcabouço teórico, aborda a constituição familiar e interação entre pais surdos e filhas ouvintes Vygotski (1991); Quadros (2017); com relação ao conceito de língua de sinais Ferreira Brito (1998); Quadros; Karnopp (2004); sobre o conceito de família Ariès (1986); Romanelli (2016); quanto à cultura Tylor (1920); Laraia (2001); Hall (1997); sobre Cultura Surda Skliar (1998); Strobel (2009); ao Bilinguismo Macnamara (1967); Grosjean (1994), por fim, quanto ao Bilinguismo Bimodal Tussi; Ximenez (2010); Quadros (2017). As análises permitem destacar como resultados: a) a utilização das duas línguas de maneira híbrida no seio familiar; b) há prevalência no uso de Libras pela primeira filha, revelando períodos de adesão e de resistência; c) enquanto a filha mais velha destaca a centralidade da Libras nas interações familiares e sociais, por outro lado, as narrativas da filha mais nova priorizam a utilização da língua portuguesa nos espaços cotidianos na comunicação com os pais, incluindo em espaços de Libras. d) processo de ressignificação da relação dos pais surdos com as filhas ouvintes em diferentes momentos históricos relacionados aos direitos da acessibilidade comunicacional. Concluímos que a família Coda é bilíngue por se inserir em duas comunidades linguísticas e interagir em duas línguas. A diversidades das experiências familiares se traduzem em experiências culturais diversificadas vivenciadas entre surdos e ouvintes no contexto familiar e social, apontando para o uso diversificado da Libras e língua portuguesa (oral e escrita), impulsionadas pela diversidade de ideias, valores, crenças existentes entre pais surdos e filhas ouvintes, que utilizam línguas distintas, mas em tempos diversos (infância, adolescência, adultez) mesmo se vivem no mesmo espaço.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 7346845 - MARIA DA CONCEICAO FERRER BOTELHO SGADARI PASSEGGI
Interno - 1458867 - GILMAR BARBOSA GUEDES
Interna - 1756133 - RITA DE CASSIA BARBOSA PAIVA MAGALHAES
Externa ao Programa - 3144003 - GESSICA FABIELY FONSECA
Externa à Instituição - JANAÍNA AGUIAR PEIXOTO - UFPB
Externa à Instituição - NIEDJA MARIA FERREIRA DE LIMA - UFCG
Externa à Instituição - VANDA LEITÃO MAGALHÃES - UFC
Notícia cadastrada em: 13/08/2020 16:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao