Banca de DEFESA: TATIANA LAPITZ MACHADO DOS SANTOS SEVERO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : TATIANA LAPITZ MACHADO DOS SANTOS SEVERO
DATA : 03/03/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de Multimeios 02 – Centro de Educação – UFRN
TÍTULO:
ESTALEIRO DE SABERES: POR UMA FORMAÇÃO PARA A VIDA
 

PALAVRAS-CHAVES:
Educação. Complexidade. Estaleiro de Saberes. Saberes da tradição. Formação de professores.

PÁGINAS: 159
RESUMO:
Um dos sintomas do avanço das ciências tem sido a superespecialização do conhecimento em áreas disciplinares. Nas universidades, as áreas tendem a se tornar autossuficientes, alimentando o fenômeno da fragmentação dos saberes (MORIN, 2001). No entanto, existem ideias, estratégias e espaços que oferecem resistência a esses programas e contextos de fragmentação. Um desses lugares é o Grupo de Estudos da Complexidade (GRECOM), onde exercita-se a aproximação dos saberes a partir de uma lógica sistêmica, polifônica e aberta. Uma das ações seminais para o GRECOM é o Projeto de Extensão Estaleiro de Saberes. Desde a sua primeira edição em 2008, o projeto propõe, por meio de formação de professores da região do Vale do Assu/RN, um exercício de diálogo entre as ciências e os saberes da tradição (ALMEIDA, 2010), valorizando a construção coletiva do conhecimento, a cultura e os saberes locais. Nutrido por encantamentos e provocações semeados no GRECOM, o presente trabalho assume como objetivo significar o Estaleiro de Saberes como espaço mobilizador e disseminador de estratégias de agir, pensar e fazer, contextualizado e complexo, tendo como eixo epistemológico a noção de pensamento clínico/sistêmico construída por Le Moigne (1999). A pesquisa foi desenvolvida em três momentos distintos: 1) a imersão nos referenciais teóricos, como bússolas para entender de que forma o projeto Estaleiro de Saberes se configura a partir de interlocutores como Edgar Morin (2001, 2003, 2005, 2007, 2011, 2013), Le Moigne (1999), Fritjöf Capra (2006), Bruno Latour (1994), Claude Lévi-Strauss (1989) e Conceição Almeida (2006, 2008, 2010, 2012); 2) a sistematização da produção técnica, bibliográfica, imagética e filmográfica das edições dos estaleiros entre os anos de 2008 e 2018, dentre as quais escolhi como foco de pesquisa a primeira edição (2008), a quinta (2014) e a sexta (2017); e 3) a realização de entrevistas semiestruturadas com a idealizadora do projeto, Prof. Dra. Maria da Conceição de Almeida (UFRN), com a Prof. Dra. Josineide Silveira de Oliveira (UERN), importante colaboradora, e com a Prof. Mara Núbia de França, representante comunitária e funcionária da Secretaria de Educação de Assu/RN. Ao longo das edições, foram realizados vinte e seis encontros, a partir dos quais foram tecidas parcerias com pesquisadores representantes de várias Instituições de Ensino Superior (IES) do país, como a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB); a Universidade Federal do Pará (UFPA); a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP); a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN - Polos Natal Central e Ipanguaçu). Experiências como esta podem servir para provocar, inspirar, estimular e trabalhar por propostas educativas próximas de quem aprende e voltadas para um mundo mais justo, onde todos possam ter acesso à diferentes configurações de saberes e ao pensar bem (MORIN, 2001).

MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS ALDEMIR FARIAS DA SILVA - UFPA
Externo ao Programa - 086.134.514-20 - FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA - UFRN
Interna - 282.302.644-49 - JOSINEIDE SILVEIRA DE OLIVEIRA - UERN
Externo à Instituição - JOÃO BOSCO FILHO - UERN
Presidente - 347048 - MARIA DA CONCEICAO XAVIER DE ALMEIDA
Notícia cadastrada em: 21/02/2020 11:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao