Banca de DEFESA: PHILIPE OLIMPIO BRILHANTE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PHILIPE OLIMPIO BRILHANTE
DATA : 28/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório 01 - Térreo - NEPSA II
TÍTULO:

O PROFESSOR UNIVERSITÁRIO E AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO SABER PEDAGÓGICO


PALAVRAS-CHAVES:

Representação Social; Formação de Professores; Saber Pedagógico; Espiral de Sentidos.


PÁGINAS: 210
RESUMO:

A universidade é o locus privilegiado para a formação de quadros profissionais, da produção do conhecimento científico, tecnológico e humanístico, bem como contribui destacadamente para a transformação da sociedade por meio de suas relações com as comunidades nas quais está inserida. Como instituição estratégica para o desenvolvimento nacional, está assentada no tripé “ensino, pesquisa e extensão”, conforme coloca a Constituição Federal em seu artigo 207. No entanto, inúmeros problemas atinentes ao ensino insurgem no cenário da educação superior brasileira. Umas dessas questões, talvez a mais central, refere-se à formação do professor universitário em relação com sua prática de ensino. Sabemos que os docentes quando ingressam no ensino superior brasileiro tem pouca ou nenhuma formação pedagógica ao longo de sua trajetória, uma vez que os pré-requisitos para a atuação no nível superior é encarada como uma preparação e não como uma formação. Sobre isso, a Lei nº 9.394/96 em seu artigo 66, coloca que, “A preparação para o exercício do magistério superior far-se-á em nível de pós-graduação, prioritariamente, em programas de mestrado ou doutorado”. Deste modo, o que está colocado pela LDB implica na prática, que a formação pedagógica é dispensável em detrimento da preparação específica. Para tentar sanar as dificuldades e deficiências da formação do professor universitário, algumas universidades criaram programas e projetos de formação continuada, constituindo-se em oportunidades onde os docentes podem refletir, compartilhar experiências com seus pares e aperfeiçoar sua formação pedagógica. Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, por exemplo, temos o Programa de Atualização Pedagógica (PAP), que é um programa permanente de formação continuada, ofertada pela Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), desenvolvida com apoio da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP). Contudo, apesar dos esforços institucionais, a problemática acerca da incorporação dos saberes pedagógicos pelos professores universitários ainda permanece, impelindo-nos a uma discussão acerca de como os professores formadores constroem suas referências pedagógicas para o exercício da docência. Assim, pretendemos, neste trabalho, estudar a construção simbólica dos professores universitários acerca dos saberes pedagógicos necessários à sua prática docente. Teremos como objeto as representações sociais do saber pedagógico para um grupo de professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte que participaram de dois encontros do Programa de Atualização Pedagógica da referida universidade no ano de 2019. Utilizaremos como aporte teórico-metodológico a Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici e a Abordagem Estrutural de Jean Claude-Abric. Para a coleta dos dados utilizaremos a Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP), técnica projetiva muito utilizada nas pesquisas em representações sociais. Os dados coletados serão organizados e interpretados com base na Espiral de Sentidos, desenvolvida por Elda Melo e para a interpretação utilizaremos a Análise de Conteúdo de Laurence Bardin, que nos permitirá inferir as informações coletadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3465197 - ELDA SILVA DO NASCIMENTO MELO
Interno - 926826 - ADIR LUIZ FERREIRA
Interna - 4197701 - ERIKA DOS REIS GUSMAO ANDRADE
Externa à Instituição - ANDREZZA MARIA BATISTA DO NASCIMENTO TAVARES - IFRN
Externa à Instituição - MARIA ALIETE CAVALCANTE BORMANN - IFESP
Notícia cadastrada em: 21/02/2020 10:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao