Banca de DEFESA: EMANUELA CARLA MEDEIROS DE QUEIROS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EMANUELA CARLA MEDEIROS DE QUEIROS
DATA : 30/08/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório 02 do PPGEd - NEPSA II
TÍTULO:

TECENDO SABERES SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL EM LITERATURA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AS VOZES DOS GRADUANDOS


PALAVRAS-CHAVES:

Leitura de literatura. Formação inicial. Educação.


PÁGINAS: 297
RESUMO:

A pesquisa tecendo saberes sobre a formação inicial no curso de pedagogia: as vozes dos graduandos investiga o modo como se processa essa formação no curso de Pedagogia em três universidades do Estado do Rio Grande do Norte. Entende-se que o pedagogo, pelo lugar que ocupa no sistema escolar − como primeiro mestre das crianças – tem, em sua prática pedagógica, a precedência, em relação aos demais, no que concerne à assunção da responsabilidade de mediar a iniciação das crianças na prática da leitura literária (AMARILHA, 2012). Desde os anos 80 do século XX, vem-se discutindo, no Brasil, a questão das práticas de leitura na escola voltadas à formação de estudantes leitores. Não obstante, o que o cenário atual tem evidenciado é uma formação incipiente em que a literatura figura, ainda, como uma atividade pouco significativa (ZILBERMAN, 2003). Concebendo a leitura de literatura como uma possibilidade de formação humana (COMPAGNON, 2009), propõe-se, a partir de um estudo da interface educação, literatura e formação do pedagogo, investigar o processo de formação em literatura vivenciado pelos graduandos do curso de pedagogia de instituições de Ensino Superior do Estado do Rio Grande do Norte. Visando a esse alcance, definem-se alguns direcionamentos teóricos. De partida, assume-se o pressuposto de que a literatura educa (ZILBERMAN; SILVA, 1998; AMARILHA, 2012, 2013), revelando-se um território transdisciplinar de possibilidades educativas que podem ser concretizadas por meio da palavra atualizada em suas dimensões formativa e estética, como meio de alargar as expectativas do leitor em sua interação com o texto (STIERLE, 1979; ISER, 1996). A esses saberes, somamse os postulados teóricos em que se faz ancoragem para refletir sobre a leitura de literatura, como Cerrillo (2016); Chambers (2007); Larossa (2010); Iser (1996); Sartre (1999); Yunes (2010); Compagnon (2009); Candido (2011); Zilberman (2003, 2008); Colomer (2003; 2007), dentre outros; e sobre a formação do professor, como Tardif (2014); Nóvoa (2007, 2008); Imbernón (2011); Marcelo (2001, 2011), dentre outros. Em um particular tratamento acerca do curso de Pedagogia, e de seu modo de funcionamento, buscou-se uma fundamentação teórica derivada dos estudos de Saviani (2012); já no que concerne à abordagem sobre a formação no ensino superior, mais especialmente, Zabalza (2004) foi a referência teórica preferencial. O percurso metodológico foi construído tomando-se como base os princípios da pesquisa quantiqualitativa (um método misto), pautada pelo interesse descritivo e interpretativo, em que se valorizam as vozes dos indivíduos em um dado ambiente natural (BOGDAN e BIKLEN, 1994; CHIZZOTTI, 2003; CRESWELL, 2010). O cenário da pesquisa é o espaço da universidade. Os sujeitos deste processo investigativo são os graduandos dos cursos de pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN; da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN e da Universidade Potiguar – UNP. Como instrumentos de pesquisa, utilizam-se o questionário investigativo e a entrevista complementar. Os resultados decorrentes da análise dos dados – contemplados à luz da análise do discurso (BARDAN, 2011) − revelam a necessidade de se (re) pensar a formação inicial do pedagogo, dada sua responsabilidade de formar leitores pela prática da leitura, mediada pelo texto literário, o qual deve servir, nesse processo, como um recurso singular na formação de crianças leitoras no espaço escolar. Entre outras constatações conclusivas, registramse as seguintes: os graduandos (sujeitos pesquisados) ainda não se reconhecem, efetivamente, como professores mediadores da leitura de literatura, mesmo que afirmem seu interesse pelos saberes aí envolvidos e assinalem a importância destes na formação educacional das crianças; os graduandos revelam-se pouco proficientes para lidar com o texto literário, especialmente no que diz respeito à seleção desse material − uma limitação de saber que debitam à sua formação; os graduandos admitem as deficiências de sua formação − como formadores de futuros leitores −, atribuindo-as, em parte, à oferta insuficiente de disciplinas especificamente voltadas para o desenvolvimento da formação em literatura, bem como ao tempo limite em que se ministram essas disciplinas, frustrando suas expectativas e comprometendo a própria prática da leitura de literatura em sala de aula. Por fim, constatou-se que o discurso da formação de leitores até perpassa a formação do pedagogo; no entanto, esta ainda se mostra lacunar, particularmente em relação ao conhecimento sobre as reais possibilidades formativas que a literatura oferece.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1801922 - ALESSANDRA CARDOZO DE FREITAS
Externa à Instituição - CASSIA DE FATIMA MATOS DOS SANTOS - IFRN
Externo à Instituição - LIVIA SUASSUNA - UFPE
Interna - 3315373 - LUZIA GUACIRA DOS SANTOS SILVA
Interno - 1958705 - MARCILIO DE SOUZA VIEIRA
Presidente - 107.909.261-72 - MARLY AMARILHA - UFRN
Externa à Instituição - VERBENA MARIA ROCHA CORDEIRO - UNEB
Notícia cadastrada em: 21/08/2019 11:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao