Banca de DEFESA: MARIA DAS GRAÇAS BARACHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA DAS GRAÇAS BARACHO
DATA : 28/11/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Multimeios I - CE
TÍTULO:

FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA O MUNDO DO TRABALHO: UMA TRAVESSIA EM CONSTRUÇÃO?


PALAVRAS-CHAVES:

Trabalho. Formação humana integral. Qualificação profissional.


PÁGINAS: 237
RESUMO:

A formação profissional em nível técnico, na perspectiva de uma formação humana integral, constitui um imperativo para a temática trabalho e educação escolar em razão da forma como o trabalho e a educação se apresentam na sociedade capitalista, e, notadamente, no Brasil, a partir da década de 1990. Nesse contexto, a educação assume uma centralidade e a ela estão agregadas as políticas educacionais que, no caso específico da educação profissional e da educação de jovens e adultos (EJA), estão materializadas por diversos projetos e programas com o objetivo de oferecer a jovens e adultos uma formação que atenda às exigências do mundo do trabalho, incluindo o conceito de polivalência; mas, por outro lado, é anunciada, enquanto princípios, uma formação profissional para jovens e adultos na perspectiva de uma formação humana integral por meio do Proeja. Esta pesquisa tem como objeto de estudo, a formação profissional em nível técnico ofertada pelo Proeja, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) com foco na formação humana integral, situando-a no contexto das políticas educacionais. Como condução do objeto de estudo, adotou-se o materialismo histórico dialético que pressupõe situá-lo no contexto no qual ele se constitui e se desenvolve. Definiu-se, como categoria de estudo, a formação profissional da qual foram derivadas as seguintes dimensões de análise: trabalho, formação humana integral e qualificação profissional. Em face dos estudos efetivados, e das informações sistematizadas das entrevistas realizadas com docentes e egressos do curso de Edificações, são contatadas duas tendências de formação profissional: uma ressaltando a formação polivalente; a outra com características de uma formação humana integral na perspectiva da politecnia. Nessa segunda tendência, conclui-se que, mesmo não sendo possível a sua plena efetivação por meio de um currículo escolar, essa formação poderá ser fortalecida na medida em que a prática pedagógica desempenhada por gestores e professores se torne uma realidade, priorizando estratégias de ensino, capazes de contribuir para levar a efeito um trabalho interdisciplinar, articulando e integrando conceitos e princípios dos diversos recortes de conhecimentos que compõem o currículo. Desse modo, ao contribuir para superar a fragmentação dos conhecimentos, o aluno estará indo ao encontro de uma formação humana integral, cujo objetivo é possibilitá-lo a enfrentar os problemas complexos, amplos e globais da realidade atual de forma consciente e, sobretudo, crítica e que adquira uma formação profissional embasada em saber sistematizado e legitimado pela sociedade capitalista, ainda negada para muitos brasileiros. Ademais, é possível, ainda, por parte da escola, buscar espaços, capazes de contribuir para a construção de uma outra forma de sociabilidade humana, tendo os direitos sociais dos jovens e adultos garantidos;enfim, que todos tenham o direito à educação de qualidade, e que, sobretudo, no seu processo formativo, sejam contemplados os conhecimentos voltados para o trabalho, para a ciência, tecnologia e para a cultura.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 7347393 - ANTONIO CABRAL NETO
Interno - 243.248.414-20 - DANTE HENRIQUE MOURA - IFRN
Externo à Instituição - DOMINGOS LEITE LIMA FILHO - UTFPR
Interno - 1458867 - GILMAR BARBOSA GUEDES
Externo à Instituição - MARCIO ADRIANO DE AZEVEDO - IFRN
Interno - 019.991.844-91 - MARIA APARECIDA DE QUEIROZ - UFRN
Externo à Instituição - MARIA DA CONCEIÇÃO PEREIRA RAMOS - UNIPORTO
Notícia cadastrada em: 16/11/2016 16:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao