Banca de DEFESA: SILVIA REGINA GROTO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SILVIA REGINA GROTO
DATA: 18/03/2016
HORA: 14:00
LOCAL: MULTIMEIOS I
TÍTULO:

O DEBATE EVOLUÇÃO VERSUS DESIGN INTELIGENTE E O ENSINO DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA: CONTRIBUIÇÕES DA EPISTEMOLOGIA DE LUDWIK FLECK


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de evolução. Ludwik Fleck. Estilos e coletivos de pensamento. Epistemologia. Evolução versus design inteligente


PÁGINAS: 281
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

Neste estudo, analisamos o debate evolução versus design inteligente à luz da epistemologia de Ludwik Fleck (1896-1961), principalmente no que refere às categorias estilo de pensamento, coletivo de pensamento, círculos esotérico e exotérico, tráfego intercoletivo de ideias e desvios de significado. A análise a partir desse referencial pretende contribuir para o ensino da evolução biológica – marcado por tensões, disputas e pontos de vista discordantes nas salas de aula de ciências e de biologia –, considerando a “compreensão” como objetivo último do ensino de evolução. A recolha de dados envolveu a análise documental, predominantemente. A metodologia da Análise Textual Discursiva (ATD) fundamentou a análise a partir de duas perspectivas: a sincrônica, que foi realizada por meio de documentos produzidos por indivíduos e/ou grupos específicos vinculados ao debate evolução versus design inteligente, e a diacrônica, que considerou o desenvolvimento de aspectos específicos dos pensamentos desses grupos ao longo do tempo. Nossos resultados permitem caracterizar os grupos envolvidos no debate evolução versus design inteligente como portadores de estilos de pensamento próprios, constituindo distintos coletivos de pensamento. Apesar de o estilo de pensamento da evolução biológica (EP-EVO) e do estilo de pensamento do design inteligente (EP-DI) possuírem certa sobreposição em seus objetos de estudo, adotam métodos, explicações, julgamentos e linguagem diferenciados para abordá-los. De forma semelhante, o coletivo de pensamento da evolução biológica (CP-EVO) e o coletivo de pensamento do design inteligente (CP-DI) apresentam diferenças na configuração de seus respectivos círculos esotéricos e na forma como disseminam o conhecimento que produzem. O tráfego intercoletivo de ideias evidencia ser assimétrico, ocorrendo, predominantemente, no sentido do CP-EVO ao CP-DI, assim como os desvios de significado. Nossos resultados apontam ainda, que uma análise fleckiana pode contribuir para a melhor caracterização dos coletivos e estilos envolvidos no debate, subsidiando a discussão sobre a temática em sala de aula quando esta se fizer necessária. Além disso, ela contribui para a elaboração de práticas e estratégias mais adequadas ao ensino da evolução biológica, sejam aquelas que evidenciam como esses estilos e coletivos se constituíram social e historicamente, sejam aquelas centradas na compreensão da evolução e nos desvios de significado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1451196 - ANDRE FERRER PINTO MARTINS
Externo à Instituição - CLÁUDIA DE ALENCAR SERRA E SEPÚLVEDA - UEFS
Interno - 1359083 - IRAN ABREU MENDES
Externo ao Programa - 1216466 - JOHN FONTENELE ARAUJO
Externo ao Programa - 2200167 - MAGNOLIA FERNANDES FLORENCIO DE ARAUJO
Externo à Instituição - MARCELO TADEU MOTOKANE - USP
Externo à Instituição - WYLLYS ABEL FARKATT TABOSA - IFRN
Notícia cadastrada em: 26/02/2016 16:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao