Banca de DEFESA: HILCE AGUIAR MELO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HILCE AGUIAR MELO
DATA: 22/02/2016
HORA: 14:00
LOCAL: MULTIMEIOS I
TÍTULO:

MEDIAÇÃO COMO ESTRATÉGIA NO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO A ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: contribuições da abordagem histórico cultural


PALAVRAS-CHAVES:

Mediação. Atendimento Educacional Especializado. Deficiência Intelectual. Inclusão escolar.


PÁGINAS: 325
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

Este estudo diz respeito a uma pesquisa colaborativa apoiada na abordagem histórico cultural de Vigotsky, objetivando situar a mediação como uma estratégia necessária no Atendimento Educacional Especializado - AEE a um aluno, com deficiência intelectual, matriculado em uma escola de aplicação - o Colégio Universitário da Universidade Federal do Maranhão - COLUN/UFMA. Um esforço digressivo a partir da concepção de AEE, posta no documento da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva - PNEEPEI/2008, apontou contradições entre o que esta política dispõe e as ações empreendidas na escola investigada. A partir disso, foi realizado um percurso metodológico envolvendo procedimentos como a entrevista, a observação, bem como os círculos reflexivos, que permitiram o desvelamento de elementos que nos auxiliaram na comprovação de que, no AEE, a mediação histórico cultural é condição necessária na inclusão escolar de alunos com deficiência intelectual. Estes vêm experimentado sucessivas situações de fracasso escolar, as quais têm sido atribuídas à condição que apresentam. Sob esse pretexto, a hegemonia de práticas tende à reprodução dessa realidade excludente, inclusive, no que diz respeito ao aluno “Sol”, no COLUN/UFMA. Foi utilizado o caso “Sol”, elaborado para dar suporte no percurso metodológico, especialmente na condução de espaço formativo realizado nos Círculos Reflexivos. A queixa principal dos profissionais envolvidos na escolarização de “Sol”, que ficou registrada no caso estudado, girou em torno de que o mesmo, por não saber ler, nem escrever, não conseguia acompanhar o programa de ensino proposto pela escola. Essa constatação somada a outras implicou no aprofundamento do conceito de mediação no “Círculo Reflexivo”. Neste espaço e em análises empreendidas para a consecução desta investigação buscamos demonstrar que a mediação como práxis, no AEE a “Sol”, deve seguir uma proposta interventiva elaborada de forma intencional e colaborativa com os profissionais da escola. Este trabalho, que propõe um AEE em moldes ampliados em relação aos concebidos nas Diretrizes da Política de Educação Especial/2008, não partiu do pressuposto de que as condições concretas para a realização deste apoio à inclusão de “Sol” já estão dadas em sua escola. Desta forma, chegou à sua fase conclusiva, tendo desenvolvido uma proposta metodológica como alternativa para que o AEE ao aluno “Sol” não se reduzisse a um espaço, nem fosse reificado, a ponto de permitir ser pensado sem a participação da Escola, representada em sua totalidade e, depois, apresentando um Plano de AEE como expressão ampla de um entendimento sobre educação inclusiva. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 6347805 - DENISE MARIA DE CARVALHO LOPES
Externo à Instituição - IVANILDE APOLUCENO DE OLIVEIRA - UEPA
Interno - 1149574 - JEFFERSON FERNANDES ALVES
Presidente - 1149418 - LUCIA DE ARAUJO RAMOS MARTINS
Externo à Instituição - MARILETE GERALDA DA SILVA PERDIGÃO - UFMA
Externo à Instituição - MARIZA BORGES WALL BARBOSA DE CARVALHO - UFMA
Interno - 1756133 - RITA DE CASSIA BARBOSA PAIVA MAGALHAES
Notícia cadastrada em: 21/02/2016 21:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao