Banca de DEFESA: PEDRO LUIZ DOS SANTOS FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PEDRO LUIZ DOS SANTOS FILHO
DATA: 31/07/2015
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITORIO DO CE
TÍTULO:

" ESCOLARIZAÇÃO DE SURDOS NO ENSINO MÉDIO EM NATAL/RN: VENDO E OUVINDO VOZES


PALAVRAS-CHAVES:

Surdos, Ensino Médio, LIBRAS


PÁGINAS: 147
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

: auto; -webkit-text-stroke-width: 0pxO ensino médio é a etapa final da educação básica e tem como finalidade o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos anteriormente com vistas a continuidade dos estudos por parte dos estudantes, bem como sua formação profissional. Considerando o caráter excludente e elitista do ensino médio brasileiro, apenas recentemente as matrículas de surdos vem se ampliando e os professores se deparam com o desafio de lidar com tais estudantes em salas de aula regulares. Tanto a política de educação especial numa perspectiva inclusiva, quanto a Lei 10.436/2002 - regulamentada pelo decreto Nº 5.626/2005 - possibilitou um grande salto para a educação de surdos no país. A primeira pela defesa de uma escola atenta as peculiaridades e demandas de seus estudantes e a segunda por reconhecer a LIBRAS como meio de comunicação e expressão da legítima da comunidade surda e indicar medidas para garantia do direito do acesso e sucesso escolar da população surda na escola. Amparado nessas discussões, este estudo teve como objetivo analisar o processo de escolarização de alunos surdos no ensino médio em uma escola pública estadual no município de Natal-RN. Realizamos um estudo de caso de natureza qualitativa. Os sujeitos foram três alunos surdos, concluintes do ensino médio, uma professora de Língua Portuguesa e dois Intérpretes de LIBRAS. Utilizamos como procedimento de investigação entrevistas (gravadas em áudio e vídeo), observações e análise de documentos. A participação de sujeitos surdos demandou cuidados éticos adicionais, tais como, tradução do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e do roteiro da entrevista para LIBRAS, visto que respeitamos sua língua como forma legítima de comunicação. Os resultados apontam que o acesso e a permanência ao ensino médio foram garantidos, contudo havia pouca participação nas aulas e a aprendizagem dos conteúdos escolares estava comprometida. Havia tradutores/intérpretes de LIBRAS, mas iniciaram suas atividades três meses após o início do período letivo. Professora e intérpretes não mantiveram interações para facilitar o aprendizado ou a participação dos estudantes que ficavam sempre juntos em determinado local da sala de aula, sem maiores interações com seus pares ouvintes. Os estudantes surdos estavam finalizando o ensino médio com idade superior a 17/18 anos e revelaram não ter perspectivas de continuidade de estudos (via realização do ENEM) ou sua própria inserção no mercado de trabalho. Concluímos que a escolarização dos estudantes surdos investigados aponta para a necessidade de uma reorganização curricular para atender as especificidades linguísticas e sociais destes estudantes.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1545096 - DEBORA REGINA DE PAULA NUNES
Interno - 3315373 - LUZIA GUACIRA DOS SANTOS SILVA
Presidente - 1756133 - RITA DE CASSIA BARBOSA PAIVA MAGALHAES
Externo à Instituição - VANDA MAGALHÃES LEITÃO - UFC
Notícia cadastrada em: 13/07/2015 09:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao