Banca de DEFESA: MARIA CILENE DE MENEZES SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA CILENE DE MENEZES SILVA
DATA: 28/07/2015
HORA: 09:30
LOCAL: AUDITORIO DO CE
TÍTULO:

" PROCESSO IDENTITÁRIO E SABERES DOCENTES:
UM ESTUDO A PARTIR DA PRÁTICA DE ENSINO NO ESTÁGIO DO
CURSO DE PEDAGOGIA DA UFRN


PALAVRAS-CHAVES:

" Formação de professores. Saber docente. Identidade profissional


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Tópicos Específicos de Educação
RESUMO:

e-adjust: auto; -webkit-text-stroke-wiEsta pesquisa parte do interesse em compreender a questão do saber docente,
precisamente dos saberes necessários à docência relacionados à profissionalização
do professor, ou seja, quais os saberes, os professores constroem no seu contexto
de trabalho. Temos consciência que o estágio é um momento de fundamental
importância para a elaboração de saberes iniciais da profissão docente e da
construção da identidade profissional. Buscando entender tais aspectos indagamos:
que saberes os futuros professores constroem ou mobilizam durante a prática de
ensino desenvolvida no estágio? Temos como objetivo compreender o processo
identitário dos licenciandos de Pedagogia da UFRN e identificar os saberes
construídos na prática de ensino desenvolvida durante o estágio supervisionado do
referido curso. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo, e teve como
instrumento de coleta de dados, entrevistas semiestruturadas com dez (10)
acadêmicos que em 2014.1 haviam realizado a prática de ensino no estágio
supervisionado. As entrevistas foram submetidas à análise de conteúdo proposto por
Bardin (2011). Como referencial teórico, apoiamo-nos também em autores como
Tardif (2012), Pimenta (2012), Nóvoa (1995), Perrenoud (2002), dentre outros, que
tratam dos saberes docentes no âmbito da profissionalização docente,
estabelecendo relação com o processo identitário. Os resultados obtidos indicam
que, no que se referem à identidade profissional, os estudos teóricos no percurso da
formação inicial, aliados às experiências vivenciadas principalmente no estágio,
contribuíram para mudar o que os alunos sabiam sobre ser professor. Desse modo,
alguns fortaleceram a identidade com a profissão enquanto outros desistiram de
investir na carreira docente. Em relação aos saberes construídos, é possível afirmar
que os estagiários percebem a pluralidade de saberes necessários a uma profissão
tão complexa, como a docente. Porém, como em uma síntese, esses saberes se
voltam para o saber planejar aulas considerando as necessidades discentes e seu
contexto social. Os estagiários declaram saber realizar a mediação da aprendizagem
através do diálogo e de atividades bem estruturadas e que a afetividade colabora
para a aprendizagem. Nessa direção, entende-se que as construções de saberes no
estágio se articularam a uma reflexão sobre a própria prática e indicam o que foi
mais significativo em termos de aprendizagem na percepção dos alunos. A partir
desse entendimento, acreditamos que os momentos de observação (primeiro passo
no estágio) e a própria regência poderiam ser mais considerados no processo
formativo, assim, os alunos registrariam o aprendizado proporcionado pela prática.
Faz-se necessário, portanto, que os alunos investiguem a própria atividade
pedagógica, transformando seus saberes numa contínua construção e reconstrução
de suas identidades a partir do significado social que atribuem à docência.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1149638 - ANTONIO BASILIO NOVAES THOMAZ DE MENEZES
Interno - 3465197 - ELDA SILVA DO NASCIMENTO MELO
Presidente - 1723874 - LUCRECIO ARAUJO DE SA JUNIOR
Externo à Instituição - SILVIA MARIA DE CONTALDO - PUCMinas
Notícia cadastrada em: 13/07/2015 09:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao