Banca de DEFESA: CARLOS HENRIQUE PESSOA CUNHA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CARLOS HENRIQUE PESSOA CUNHA
DATA : 14/02/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório D do CCHLA
TÍTULO:

MIL RIBEIRAS: uma cartografia das heterotopias, disciplinamentos e rasuras na produção do espaço urbano


PALAVRAS-CHAVES:

Ribeira; Heterotopia; Multiplicidades; Captura Retrotópica Sobrecodificante; Rasuras Urbanas.


PÁGINAS: 185
RESUMO:

Esta pesquisa, em todos os seus mapas, perseguiu a dinâmica de produção de estados de heterotopias em um espaço urbano – o bairro da Ribeira, Natal/RN – no sentido de compreender quais fluxos de poder atuaram, sempre em conexão, num tipo de composição que coincide justamente com a própria feitura do espaço. A Ribeira, assim como qualquer outro, não é um bairro que permaneceu inalterado no decurso do tempo, ou seja, não podemos falar nem do seu início nem do seu fim, mas tão somente no dinamismo de sua constante produção. Quantas Ribeiras existiram e existem no mesmo recorte geofísico, por vezes simultaneamente, e quais os fluxos de poder que se coadunaram ao longo do tempo (século XX e XXI), impulsionando agenciamentos coletivos que maquinaram todas essas Ribeiras? Pelo fato de ser uma das mais antigas áreas de povoamento de Natal e parte daquilo que foi oficialmente determinado como centro histórico da cidade, a Ribeira se prestou bem à proposta da tese, pois permitiu cartografar como os fluxos molares e moleculares se compuseram no tempo, produzindo territorialidades existenciais, movimentos de desterritorializações e de reterritorializações. Buscamos desvelar os momentos de cruzamentos (não num sentido de oposição, mas de conexão) entre as diversas linhas de segmentaridades, presentes na construção da Ribeira, isto é, como as linhas duras e molares atuaram para normatizar, disciplinar e criar rostos para o espaço e para as vidas que poderiam ou não lá se efetuar, enquanto que pulsões de vidas menos domáveis e dissidentes moveram-se para arrancar as máscaras, destroçar os rostos e apontar para a criação de novos mundos. Dessa forma, buscamos tensionar as narrativas urbanas com foco unicamente em projetos urbanísticos disciplinantes, como os programas de Capturas Retrotópicas Sobrecodificantes (CRS) de centros históricos. Pensamos outras possibilidades de experienciar, comunicar-se e consumir o urbano, entrevendo e fazendo emergir textos urbanos rasurados e em marginália, que não negam as forças normativas, mas trazem novos elementos às realidades. Essa experiência acadêmica, se conectou visceralmente com a filosofia aberta da multiplicidade, proposta por Deleuze e Guattari, que apontou novos caminhos teóricos, epistemológicos e metodológicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1693229 - GILMAR SANTANA
Interno - 1501788 - ALEXSANDRO GALENO ARAUJO DANTAS
Interno - 008.055.544-67 - FAGNER TORRES DE FRANÇA - UFRN
Interna - 6348127 - JOSIMEY COSTA DA SILVA
Externo à Instituição - FRANCISCO SÁ BARRETO DOS SANTOS - UFPE
Externo à Instituição - PABLO MORENO PAIVA CAPISTRANO - IFRN
Notícia cadastrada em: 27/01/2020 10:24
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao