Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCA DIANE PEREIRA DE FARIAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCA DIANE PEREIRA DE FARIAS
DATA : 22/08/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 511 do DGE/CCHLA
TÍTULO:

O CIRCUITO ESPACIAL DE PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO: OS USOS DO TERRITÓRIO DO RIO GRANDE DO NORTE NO CONTEXTO TÉCNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL


PALAVRAS-CHAVES:

Meio técnico-científico-informacional; uso do território; circuito espacial de produção do vestuário


PÁGINAS: 145
RESUMO:

O período técnico-científico-informacional ampliou as possibilidades de expansão e comando das atividades econômicas capitalistas a nível global. Nesse contexto, amodernização do sistema de telecomunicações e de transportes se converteram nasferramentas que viabilizaram o aumento dos fluxos materiais e imateriais e oalargamento da divisão territorial do trabalho, além do novo papel que a financeirizaçãoe o crédito assumiram no contexto da economia mundial. No Brasil, esse processo seintensifica a partir de 1970, gerando um sistema de engenharia (transportes etelecomunicações) que possibilitou o aprofundamento da divisão territorial do trabalho anível nacional e, a ampliação e o surgimento de novos circuitos espaciais de produção.Nessa conjuntura, foram ensejadas novas formas de uso do território no Rio Grande doNorte pelos agentes hegemônicos da economia nacional e internacional, emconsonância com as ações do Estado. Promoveu-se portanto, um processo dereestruturação de seu território e das atividades econômicas preexistentes, dentre elas, aindústria têxtil de confecções e vestuário que passou a ser comanda por grandesempresas oriundas, sobretudo, do Sudeste do país. No que tange especificamente o setordo vestuário, verifica-se a configuração de um circuito espacial de produção amplo ediverso, em termos de agentes, de escalas, de redes e fluxos materiais e imateriais. Destaforma, a tese defendida parte da premissa de que, a difusão do meio técnico-científico-informacionalno Brasil e, as políticas de incentivo ao desenvolvimento industrialfomentadas pelo Estado, ampliaram e diversificaram o circuito espacial de produção dovestuário no Rio Grande do Norte a partir do aumento do fluxo de mercadorias, daatração de grandes grupos econômicos externos, do surgimento de médias e pequenas empresas locais e da expansão territorial do Grupo Guararapes. Diante disso,objetivamos compreender como se configura o uso do território potiguar pelo circuitoespacial de produção do vestuário no contexto técnico-científico-informacional. Oestudo se baliza na concepção teórico-metodológica dos circuitos espaciais de produçãoe nas contribuições dos diversos interlocutores, os quais se destaca o geógrafo MiltonSantos, dentre outros autores que ampliam a reflexão acerca da atual conjunturaeconômica global, como David Harvey, François Chesnais, Georges Benko e outros.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2346233 - FRANCISCO FRANSUALDO DE AZEVEDO
Externa ao Programa - 2615432 - JANE ROBERTA DE ASSIS BARBOSA
Externa à Instituição - MÁRCIA DA SILVA - UNICENTRO
Interno - 1530760 - RAIMUNDO NONATO JUNIOR
Notícia cadastrada em: 01/08/2019 14:37
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao