Banca de QUALIFICAÇÃO: BRUNA CORDEIRO SALDANHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRUNA CORDEIRO SALDANHA
DATA : 23/03/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Dep. de Geografia
TÍTULO:

REPRESENTAÇÕES NA CIDADE DOS MORTOS: EXPRESSÕES SIMBÓLICAS E TERRITORIALIDADE(S) RELIGIOSA(S) A PARTIR DOS CEMITÉRIOS EM SERROLÂNDIA-BA


PALAVRAS-CHAVES:

Cemitério; Morte; Símbolo; Memória


PÁGINAS: 67
RESUMO:

As tradições, as representações, os mitos e os ritos são elementos que estão presente no imaginário simbólico e cultural da sociedade. Sobretudo no que se refere aos questionamentos que se têm em relação à morte, os homens procuram conectar-se com a divindade para encontrarem fundamentos que orientem o mistério da vida (ou da morte) e buscam respostas no campo sobrenatural por diversas razões: seja pela não aceitação na sua materialidade efêmera, a saber da ruptura entre a existência terrena e as dimensões transcendentes; seja buscando a compreensão da vida na terra, posto a sua imperfeição existencial ou a criação do mundo externo, que os tornam exíguos diante da grandeza do universo, irracional do ponto de vista humano; seja pelo bálsamo oferecido na crença em um ser superior que rege a humanidade e determina os acontecimentos que fogem à logicidade humana. Diante da necessidade de compreensão desses fenômenos inerentes à vida, este trabalho tem o objetivo de discutir os elementos que representam as manifestações culturais e religiosas a partir dos campos fúnebres em Serrolândia-BA, cidade composta por três cemitérios. Além disso, apresentamos discussões que envolvem a territorialidade religiosa, que se deu a partir da construção de um cemitério exclusivo para o sepultamento de protestantes, disposto a segregar os corpos de fiéis que, em vida, possuíam crenças doutrinárias opostas. A partir do conhecimento das representações simbólicas no espaço cemiteral, percebe-se uma referência à vida, isto é, compreender as diferentes linguagens contidas nesses ambientes demonstra a preocupação que os entes operam frente aos olhares dos vivos, pois as representações culturais presentes nas necrópoles refletem a interpretação e os modos de viver que determinados indivíduos têm sobre a morte. Assim, busca-se traçar um elo entre o mundo dos vivos com o mundo dos mortos, a fim de entender e apresentar os elementos contextuais das constituições tumulares, os seus componentes simbólicos e materiais, as expressões culturais e os ritos funéreos, com o intuito de demonstrar as características específicas da morte enquanto componente de manifestação das crenças, das identidades e dos valores que compõem a sociedade.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149350 - ANELINO FRANCISCO DA SILVA
Interna - 6350736 - EUGENIA MARIA DANTAS
Externo ao Programa - 3060741 - HUGO ARRUDA DE MORAIS
Notícia cadastrada em: 11/03/2019 14:10
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao