Banca de QUALIFICAÇÃO: DIOGO BERNARDINO SANTOS DE MEDEIROS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DIOGO BERNARDINO SANTOS DE MEDEIROS
DATA : 15/03/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório "E" do CCHLA
TÍTULO:

MAPEAMENTO E ANÁLISE INTEGRADA DAS UNIDADES DE PAISAGEM (GEOFÁCIES) DO SERIDÓ POTIGUAR: SUBSÍDIOS A UM ORDENAMENTO TERRITORIAL


PALAVRAS-CHAVES:

Mapeamento de Geofácies. Análise Integrada da Paisagem. Seridó Potiguar. Ordenamento Territorial


PÁGINAS: 79
RESUMO:

Em meio a uma sociedade cada vez mais consciente de que a conservação dos recursos naturais é algo necessário para a manutenção das condições exigidas para o desenvolvimento da humanidade, as políticas em torno das práticas de planejamento e gestão ambiental, em suas diversas escalas, ainda se apresentam deficitárias. Tal situação relaciona-se causalmente com a escassez de estudos científicos consistentes/adequados sobre as condições ambientais, os recursos naturais e os seus usos. No seio desta demanda, está a Geografia. Desenvolvido numa perspectiva sistêmica, no âmbito dessa ciência, o conceito de Paisagem, devido às suas propriedades de unidade síntese, tem sido tratado como uma unidade de planejamento, no qual são empregados diferentes métodos e enfoques de estudos, considerados mais adequados para um diagnóstico com vias no ordenamento territorial. Na dissertação ora apresentada, toma-se tal assertiva como uma linha mestra, que define o objeto da pesquisa: as unidades de paisagem (Geofácies) do Seridó Potiguar; e a sua metodologia: o sistema taxonômico da paisagem de Bertrand (1968), aliado à teoria Ecodinâmica de Tricart (1977) e à classificação dinâmica, temporal e espacial, de Bolós (1981); e o seu fim: subsidiar o ordenamento territorial. Tomou-se, aqui, como parâmetro fundamental, as reflexões do já citado biogeógrafo francês e as adaptações de Diniz, Oliveira e Bernardino (2015) ao seu esboço metodológico. Partindo disso, este estudo tem como objetivo mapear as unidades de paisagem (geofácies) do Seridó Potiguar e realizar uma análise integrada de suas dinâmicas socioambientais. Em consonância com Bertrand (2004), a fisionomia paisagística fornece os melhores critérios para determinar os limites dos geofácies, porquanto considera-se a vegetação/solo a síntese tridimensional dos diversos processos e interações que ocorrem no meio. Para essa delimitação, foram utilizadas as técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto, por meio da vetorização de dados cartográficos e imagens de alta resolução. Como resultados preliminares, enfatizam-se a observação de onze geofácies, distribuídos em dois geocomplexos, que estão descritos/analisados de forma parcial até esta altura. Nessa análise, ou melhor, síntese, considera-se, indissociavelmente, na paisagem, as variáveis do meio físico (potencial ecológico), os componentes biológicos (exploração biológica) e a evolução histórica/atividades humanas (ação antrópica), produzindo, em suma, um diagnóstico das complexas e, muitas vezes, conflitantes relações entre o homem e a natureza, isto é, um quadro situacional de grande valia para o ordenamento territorial/planejamento ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2321176 - JULIANA FELIPE FARIAS
Presidente - 2506087 - MARCO TULIO MENDONCA DINIZ
Externo ao Programa - 2289755 - SAULO ROBERTO DE OLIVEIRA VITAL
Notícia cadastrada em: 27/02/2019 10:03
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao