Banca de QUALIFICAÇÃO: THIAGO AUGUSTO NOGUEIRA DE QUEIROZ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THIAGO AUGUSTO NOGUEIRA DE QUEIROZ
DATA : 25/10/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Dep. de Geografia
TÍTULO:

O PROCESSO DE VERTICALIZAÇÃO EM NOVA PARNAMIRIM:A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO DE NATAL


PALAVRAS-CHAVES:

Processo de verticalização, Nova Parnamirim, Produção do espaço metropolitano, Natal.


PÁGINAS: 102
RESUMO:

Em nosso cotidiano, observamos as transformações da paisagem que vem ocorrendo no bairro de Nova Parnamirim nos últimos dez anos. Percebemos, principalmente o crescimento do número de condomínios com edifícios verticais. Esse fato nos motivou a fazer uma pesquisa sobre esse processo observado na paisagem do bairro. Partimos da hipótese de que o processo de verticalização em Nova Parnamirim é uma continuidade da produção do espaço urbano e do processo de verticalização em Natal. Nessa perspectiva, questionamos: quais as estratégias e práticas dos agentes econômicos, políticos e sociais que tornam o processo de verticalização em Nova Parnamirim uma continuidade no espaço-tempo do processo da produção do espaço urbano de Natal? Nesse contexto, essa tese tem o objetivo geral de compreender o processo de verticalização em Nova Parnamirim como uma continuidade da produção do espaço urbano e da verticalização de Natal, por meio das estratégias e práticas, em diferentes escalas, dos agentes econômicos, políticos e sociais. Para essa compreensão, destacamos a montagem, o desenvolvimento e os desdobramentos do processo de verticalização em Nova Parnamirim. Os resultados parciais mostram que a montagem da verticalização em Nova Parnamirim está na produção do espaço e na verticalização em Natal, começou de forma incipiente na década de 1930, passando a ser mais expressiva na paisagem no final da década de 1960. A partir da década de 1990 teve início o desenvolvimento do processo de verticalização em Nova Parnamirim. De um lado, esse processo teve uma continuidade e uma ampliação após a crise econômica mundial de 2008. Por outro lado, esse processo tornou-se descontínuo após a crise urbana, política e econômica que vem ocorrendo no Brasil desde 2013. Os desdobramentos desse processo mostram o “discurso heterônomo” dos moradores e das representações socioespaciais dos condomínios verticais. Mesmo modo, a verticalização desdobra-se na “autossegregação” dos moradores e a “fragmentação socioespacial” metropolitana. Um último desdobramento refere-se à “pedagogia urbana” produzida pela verticalização, contrária ao “direito à cidade”, a “justiça socioespacial” e ao “desenvolvimento urbano”.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349714 - ADEMIR ARAUJO DA COSTA
Interno - 6350736 - EUGENIA MARIA DANTAS
Interno - 350836 - IONE RODRIGUES DINIZ MORAIS
Notícia cadastrada em: 26/09/2018 12:48
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao