Banca de DEFESA: HELOÍSA SILVA SARAIVA GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HELOÍSA SILVA SARAIVA GOMES
DATA : 08/08/2022
HORA: 13:30
LOCAL: videoconferência
TÍTULO:

Bioquímica Computacional da Biodegradação do corante vermelho congo por lacases


PALAVRAS-CHAVES:

Biorremediação. MFCC. DFT. Interações intermoleculares. Corante vermelho Congo. Lacase de Pycnoporus sanguineus. Lacase de Tratametes versicolor.


PÁGINAS: 55
RESUMO:

O aumento global da urbanização e da atividade industrial levou à produção e incorporação de moléculas contaminantes aos ecossistemas. Em especial, a poluição dos corpos hídricos por efluentes sem tratamento prévio causa inúmeros danos às espécies que vivem em ambientes aquáticos. Processos biotecnológicos e estratégias físicas, químicas e biológicas têm sido adotadas para eliminar esses contaminantes dos corpos d'água sob estresse antropogênico. Na perspectiva da biorremediação, as lacases são enzimas capazes de degradar compostos fenólicos, aromáticos e não aromáticos, inclusive corantes sintéticos produzidos no âmbito da indústria têxtil. Nesse contexto, o presente trabalho se propõe a analisar qualitativamente (tipo de ligação química), quantitativamente (energia de interação) e de forma comparada os contatos intermoleculares do corante vermelho Congo acoplado às lacases de Tratametes versicolor (CR-LacTv) e Pycnoporus sanguineus (CR-LacPs), inclusive identificando padrões de interação. Para a descrição das energias de ligação individuais do tipo ligante-receptor existentes nesses biocomplexos, utilizamos o esquema de fracionamento molecular com capas conjugadas (MFCC) no escopo da Teoria do Funcional da Densidade (DFT). Os resultados apontam para uma maior afinidade do corante vermelho Congo com a lacase de Pycnoporus sanguineus. No caso, o corante interage com LacPs (LacTv) com uma energia de ligação de -38,26 kcal/mol (-19,26 kcal/mol), com 63,3% (63,6%) dos contatos intermoleculares com os aminoácidos do receptor ocorrendo a partir da região iii (i) desse ligante. Os principais resíduos do complexo CR-LacPs (CR-LacTv) são a ARG161, PHE162, GLY392, GNL160, SER393, PRO391, PHE265 e GLY266 (PHE162, ALA161, GLY266, ALA393, PHE 265, PRO391, PRO160, GLY392), nos quais destacamos a existência de seis (cinco) importantes ligações de hidrogênio e dois (três) contatos hidrofóbicos em CR-LACPs (LacTv). A descrição estrutural e energética das interações dos biocomplexos em questão auxilia no entendimento das diferenças em termos de estabilidade e eficácia de enzimas da mesma família, porém organismos distintos. Consequentemente, possibilitará estudos de aumento da efetividade da biorremediação promovida por tais enzimas após alterações pontuais dirigidas.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2985070 - JONAS IVAN NOBRE OLIVEIRA
Interno - 2412258 - EDILSON DANTAS DA SILVA JUNIOR
Externo à Instituição - CLAUDIO BRUNO SILVA DE OLIVEIRA - F.M.Nassau
Notícia cadastrada em: 26/07/2022 14:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao