Banca de DEFESA: ODAIZA BARROS PORTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ODAIZA BARROS PORTO
DATA : 16/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

O CIRCUITO ESPACIAL DE PRODUÇÃO E OS CÍRCULOS DE COOPERAÇÃO DO SISAL NO SEMIÁRIDO PARAIBANO:O

município de Pocinhos- PB em destaque


PALAVRAS-CHAVES:

Sisal; Circuito espacial de Produção; Círculos de Cooperação; Meio
técnico-científico-informacional; Pocinhos.


PÁGINAS: 201
RESUMO:

Este trabalho tem como objetivo principal analisar o circuito espacial de produção do
sisal tomando como ponto de partida o município de Pocinhos-PB, localizado na região
do Semiárido paraibano. O sisal (Agave Sisalana perrine) é uma espécie semixerófila de
origem intertropical (México), em que o Brasil se configura como maior produtor e
exportador do seu principal produto, a fibra têxtil, e que tem o estado da Paraíba como
segundo maior produtor nacional. Historicamente, diversos municípios paraibanos se
desenvolveram economicamente a partir da produção do sisal, e nesse sentido Pocinhos-
PB, é um dos exemplos de municípios do Semiárido paraibano, que se mostra resiliente
no cultivo do sisal na região, se caracterizando como um dos principais produtores da
fibra no estado. Fundamentado na teoria dos circuitos espaciais de produção e dos
círculos de cooperação (SANTOS, 2008b), nos propusemos a compreender a dinâmica
de produção da referida cultura, que por diversos fatores nas últimas décadas vem se
constatando um declínio na produção. A partir disso, a metodologia consistiu-se no uso
das seguintes técnicas: levantamento e pesquisa bibliográfica sobre a temática abordada;
coleta e análise de dados estatísticos; trabalho de campo; entrevistas semiestruturadas
com os principais agentes do circuito. Como resultado da pesquisa, verificamos em uma
perspectiva histórica a introdução do sisal, bem como a sua disseminação no Semiárido
paraibano por meio da variável espaço-tempo e elencamos os principais fatores de
ordem interna e externa para tal desenvolvimento. Além disso, apresentamos o processo
de produção do sisal que vai desde a pré-produção ao consumo final do produto,
destacando as principais variáveis do circuito. Assim, na pesquisa levamos em conta os
diversos fluxos materiais e imateriais existentes e a sua espacialização, suscitado pelo
meio técnico-científico-informacional, que permite uma ampliação das trocas entre os
lugares, que ocorrem não necessariamente entre áreas contínuas. No circuito espacial de
produção do sisal, constatamos que o município de Pocinhos, diante do contexto da
divisão territorial do trabalho, participa deste por meio do desenvolvimento de etapas
iniciais do circuito, que seriam a de produção propriamente dita, de primeiro
beneficiamento da fibra no campo (desfibramento) e também de segundo
beneficiamento no espaço da cidade (batimento), bem como na etapa de primeira
distribuição e comercialização deste produto, seja de forma local ou estadual.
Destacamos ainda algumas integrações verticais, no município supramencionado,
embora que em menor grau quando comparado às ações que ocorrem nos últimos elos
do circuito, que seria a distribuição, comercialização e consumo no exterior, espaço de
maior verticalização, e a ausência do que seriam importantes círculos de cooperação na
produção. Ainda consideramos ao final da pesquisa que, presentemente, no âmbito do
processo de Globalização, mesmo em cultivos que não se utilizam técnicas modernas de
produção, como exemplo do sisal, inevitavelmente, a sua produção se utiliza de
variáveis como a ciência, a tecnologia e a informação em diversas outras circunstâncias
ao longo do seu processo produtivo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1804195 - GLEYDSON PINHEIRO ALBANO
Interno - 3214278 - LEANDRO VIEIRA CAVALCANTE
Externo à Instituição - PAULO SÉRGIO CUNHA FARIAS - UFCG
Notícia cadastrada em: 26/11/2022 08:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao