Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSIEL OLIVEIRA DA LUZ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSIEL OLIVEIRA DA LUZ
DATA : 25/06/2024
HORA: 14:00
LOCAL: Ambiente virtual
TÍTULO:

Análises Estatísticas de Chuvas Extremas na Costa Leste do Nordeste Usando Modelos
Espaço-Temporais


PALAVRAS-CHAVES:

Geoestatística; Modelos espaço-temporais; Pacotes do R; Extremos climáticos;
Desastres naturais.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

O estudo dos extremos climáticos é essencial para entender as ocorrências de
desastres naturais. Ele se torna ainda mais importantes quando as ferramentas disponíveis para
essa análise não desempenham suas funções com precisão. Isso é o caso dos eventos extremos
de precipitação que ocorrem na costa leste do Nordeste do Brasil, em que as estimativas feitas
por satélite tendem a subestimar as precipitações extremas. Isto posto, o estudo propôs-se a
explorar o comportamento dos extremos pluviométricos nessa região visando construir
conhecimentos necessárias para embasar o desenvolvimento de medidas de mitigação a
desastres naturais. Para isto, adotou-se como extremo de estudo a quantidade de vezes que os
acumulados diários de chuva ultrapassaram o limiar de 30 milímetros em um período de um
ano. A série temporal possui 32 anos, com observações em 37 estações. Além das precipitações,
ela possui a latitude, longitude e altitude das estações. Os dados foram extraídos do Instituto
Nacional de Meteorologia (INMET) e da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).
Para o estudo foram selecionados modelos espaciais e espaço-temporais disponíveis na
literatura e implementados na linguagem R trabalhados numa perspectiva de inferência
bayesiana. Sob esse contexto, até o presente momento, o estudo não se encontra concluído e
não dispõe de todos os resultados, porém, os resultados até então, mostraram extremos
ocorrendo com maior frequência nas regiões próximas ao litoral, com dependência espacial e
com dependência temporal não clara. Além disso, numa análise meramente observacional,
nota-se um indicativo de padrões de extremos se repetindo a cada 10 anos a partir de 1991. Os
próximos passos do estudo é ajustar os 5 modelos espaciais e espaço-temporais; retirados dos
pacotes geoR, geoRglm, geoCount e INLA; ao conjunto de dados. Após isso, será comparado as
previsões oriundas desses modelos com as de satélite. Caso os resultados dos modelos sejam
positivos frente a estimativas de satélite, será montado um banco de dados com o modelo de
melhor ajuste, contribuindo assim com futuras pesquisas que desejem trabalhar com dados
mais próximos dos dados reais quando comparado aos de satélite e com uma maior densidade
amostral quando se comparado com os dados reais, já que a quantidade de estações
meteorológicas disponíveis é pequena em relação a extensão da área.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3010614 - ELIARDO GUIMARAES DA COSTA
Presidente - 1781198 - FIDEL ERNESTO CASTRO MORALES
Externo à Instituição - JORIO BEZERRA CABRAL JUNIOR - UFAL
Externa à Instituição - JOSIMARA TATIANE DA SILVA
Notícia cadastrada em: 24/05/2024 15:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao