Banca de DEFESA: SAMUEL BATISTA BORGES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SAMUEL BATISTA BORGES
DATA : 11/11/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO:

COMPARAÇÃO DE DUAS TÉCNICAS CIRÚRGICAS PARA RECOBRIMENTO RADICULAR DE RECESSÕES GENGIVAIS UNITÁRIAS


PALAVRAS-CHAVES:

Recessão gengival. Raiz dentária. Enxerto de conjuntivo. Retalhos cirúrgicos. Ensaio clínico.


PÁGINAS: 97
RESUMO:

As crescentes demandas dos pacientes ao tratamento das recessões gengivais trazem à tona questões terapêuticas clinicamente significativas, exigindo dos profissionais constante aperfeiçoamento em técnicas cirúrgicas cada vez menos invasivas e mais previsíveis. OBJETIVO: Comparar duas técnicas para recobrimento radicular em recessões gengivais unitárias, unilaterais, do tipo 1. METODOLOGIA: Este estudo clínico, paralelo, randomizado e duplo cego avaliou indivíduos com recessões gengivais unitárias, unilaterais, do tipo 1 (RT1), submetidos à cirurgia para recobrimento radicular, através da associação do enxerto de tecido conjuntivo subepitelial ao retalho posicionado coronalmente (grupo controle) e técnica de túnel (grupo teste). Os principais parâmetros avaliados foram profundidade de sondagem (PS), sangramento à sondagem (SS), nível clínico de inserção (NCI), recessão gengival (RG), faixa e espessura da mucosa ceratinizada (MC e EG), percentual de recobrimento radicular (RR) e fenótipo gengival (FG), além de fatores centrados no paciente (FCP), como  dor pós-operatória, hipersensibilidade dentinária cervical (HSDC), estética, grau de satisfação e a qualidade de vida, intra e intergrupo, ao longo de 06 meses de acompanhamento. Os dados foram analisados estatisticamente através dos testes t emparelhado de Student, teste t para amostras independentes, Qui-quadrado, McNemar, Análise de Variância Split-Plot com pós-teste t de Student (α = 5%). RESULTADOS: 46 indivíduos finalizaram este estudo (controle: 23; teste: 23). O tempo de cirurgia foi maior para o grupo teste (controle: 40min ± 5,6; teste: 51min ± 5,9; p = 0,041). Foram observadas reduções estatisticamente significativas para a RG e ganho significativo do NCI, de MC e de EG na análise intragrupo, em ambos os grupos de tratamento, porém, sem diferenças entre as técnicas. O RR aumentou significativamente nos períodos avaliados, mas não foram observadas diferenças intergrupo (controle: 89,2%; teste: 86,5%; p = 0,069). A análise intragrupo revelou mudança de FG (controle: 95,65%; teste: 91,3%; p < 0,001). Ambos os protocolos de tratamento reduziram dor pós-operatória e HSDC, e proporcionaram melhora na estética, satisfação e na qualidade de vida (p < 0,001), sem diferenças entre as técnicas ao longo do tempo. CONCLUSÃO: Ambos os tratamentos apresentaram eficácia clínica semelhantes em termos de recobrimento radicular e melhora dos FCP.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1660087 - BRUNO CESAR DE VASCONCELOS GURGEL
Interna - 2085732 - ANA RAFAELA LUZ DE AQUINO MARTINS
Externo à Instituição - DANIELA DA SILVA FEITOSA - UFPE
Externa à Instituição - KARYNA DE MELO MENEZES - UEPB
Externo à Instituição - RENATO VASCONCELOS ALVES - UPE
Notícia cadastrada em: 31/10/2022 08:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao