Banca de DEFESA: ARETHA HEITOR VERISSIMO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARETHA HEITOR VERISSIMO
DATA : 09/11/2022
HORA: 14:30
LOCAL: DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA - AUDITÓRIO
TÍTULO:

FATORES ASSOCIADOS AO INTERESSE DE USUÁRIOS DE PRÓTESE TOTAL MANDIBULAR EM TERAPIA IMPLANTOSSUPORTADA E IMPACTO DA REABILITAÇÃO COMSOBREDENTADURA COM ÚNICO IMPLANTE

 

 


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Prótese Mandibular; Implantação Dentária; Qualidade de Vida; Satisfação do Paciente; Mastigação.


PÁGINAS: 152
RESUMO:

Este estudo objetivou identificar os fatores que influenciam na decisão de substituir uma prótese total convencional mandibular pelo tratamento com implantes dentários, assim como avaliar a satisfação, qualidade de vida e performance mastigatória (PM) após reabilitação com sobredentaduras com um único implante em pacientes adaptados e não-adaptados a prótese total convencional (PT) mandibular. Inicialmente, foi realizado um estudo transversal com 117 usuários de próteses totais convencionais (PTs), os quais foram avaliados quanto à desfechos relacionados à prótese (número de PTs mandibulares anteriores, tempo de uso da prótese atual, se as próteses foram confeccionadas por dentista e quanto uso regular da prótese mandibular) e com relação ao período de edentulismo mandibular, altura do osso mandibular e vontade do paciente em se submeter a terapia com implantes. Dentre esses pacientes, foram selecionados 22 pacientes que tinham interesse em se submeter a terapia com implantes, sendo alocados por pareamento em 2 grupos:  adaptados à prótese mandibular (Grupo PTA - “adaptados à PT mandibular”) e  não adaptados(Grupo PTN - “não adaptados à PT mandibular”). Em cada paciente, foi instalado um único implante na linha média e após o período de osseointegração as próteses mandibulars foram convertidas em sobredentaduras.   O desempenho mastigatório foi avaliado pelo método das tamises,  a alltura óssea mandibular por medição em radiográfica paranoâmica, satisfação por escala quantitativa com questionário validado e o impacto da saúde oral na qualidade de vida pelo questionário OHIP-Edent-19. O teste Qui-quadrado foi utilizado para análise dos dados e as razões de prevalência ajustadas por meio da regressão multivariada de Poisson, com intervalo de confiança de 95% no, para o segundo a análise estatística em cada grupo e entre grupos foi empregado testes não-paramétricos de Wilcoxon e Mann-Whitney, com nível de significância de 5%. Setenta e oito participantes (66,7%) estavam interessados em PT mandibular implantossuportada, média de idade 65,68±6,38, predominantemente sexo feminino. A PM não foi influenciada pela escolha da PT implantossuportada mandibular. A preferência pela PT implantossuportada mandibular foi correlacionada com o maior tempo de experiência em PT mandibular (p=0,021) e foi significativamente associada à insatisfação quanto à retenção (p=0,005). Após a intervenção com implante, todos os pacientes não adaptados passaram a condição de adaptados. Não houve diferença entre PTA e PTN mandibular para OHIP-Edent (p=0,276) e PM (p=0,222), a satisfação foi significativa apenas para o critério “conforto em arco inferior” (p=0,043). Para comparações pré e pós-tratamento com sobredentadura, a mediana do OHIP-Edent total diminuiu significativamente em ambos os grupos. Na comparação intragrupo, essa redução foi significativa em PTA apenas para a “limitação funcional” (p=0,026), e em PTN em quase todos os domínios, exceto “disfunção social” e “incapacidade” (p>0,05). Houve aumento estatisticamente significativo para a satisfação geral de 75,41 para 90,25 (p=0,012) em PTN e de 76,10 para 90,50 (p=0,007) em PTA. Os parâmetros “mastigação”, “adaptação”, “retenção” e “conforto” em arco inferior foram diferentes com significância em ambos os grupos, e “gustação”, “fonação” e “dor” em arco inferior foram significativos apenas para o grupo não adaptado (p<0,05). Houve diferença significativa para PM em PTN (p=0,002) e PTA (p=0,047) ao se comparar tipo de reabilitação.  Não houve correlação entre PM e OHIP antes e após a reabilitação (p>0,05). Pode-se concluir que a experiência anterior com PT mandibulares convencionais e a insatisfação com a retenção dessas, influenciam a vontade da reabilitação com sobredentadura implantossuportada mandibular, assim como, a reabilitação com sobredentadura sobre implante único apresenta-se como alternativa aos pacientes não adaptados a PT convencional mandibular, auxiliando na aceitação do uso da prótese mandibular, assim como, comprovando efeito positivo na satisfação, qualidade de vida e performance mastigatória.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1459400 - ADRIANA DA FONTE PORTO CARREIRO
Interna - 2946627 - ERIKA OLIVEIRA DE ALMEIDA
Interno - 1466265 - GUSTAVO AUGUSTO SEABRA BARBOSA
Externa à Instituição - FERNANDA FAOT - UFPel
Externo à Instituição - ANDRE ULISSES DANTAS BATISTA - UFPB
Notícia cadastrada em: 21/10/2022 07:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao