Banca de DEFESA: NIZYARA COSTA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NIZYARA COSTA DA SILVA
DATA : 30/09/2022
HORA: 08:30
LOCAL: DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA-AUDITORIO
TÍTULO:

OSTEOMIELITES DOS MAXILARES: ESTUDO CLINICOPATOLÓGICO


PALAVRAS-CHAVES:

Infecção óssea, ossos maxilares, osteomielite.


PÁGINAS: 68
RESUMO:

A osteomielite é definida como um estado inflamatório do osso e sua etiopatogenia é multifatorial, incluindo traumas, doenças sistêmicas e infecções odontogênicas. Diante disso, essa pesquisa consistiu em um estudo de análise descritiva, retrospectiva e comparativa dos tipos de osteomielite e das suas causas, que se propôs avaliar as características clínicopatológicas dessa lesão nos maxilares, diagnosticadas na Disciplina de Estomatologia e Patologia Oral, Departamento de Odontologia da UFRN, no período de janeiro de 1970 a dezembro de 2021. A amostra consistiu de 75 casos de osteomielite, sendo 9 casos de osteomielite aguda, 3 casos de osteomielite crônica primaria e 63 casos de osteomielite crônica secundária. Foi realizada a coleta dos dados clínicos, a partir do qual foram avaliados os dados demográficos, hábitos de etilismo e tabagismo, características das lesões e tratamentos utilizados. A análise radiográfica foi avaliada considerando a perda óssea, dimensão, reabsorção, fratura patológica, sequestro ósseo, osso reacional, localização e tamanho. O estudo morfológico avaliou os osteoblastos, osteoclastos, colônias bacterianas, osso necrótico e tecido de granulação. Para análise estatística foram utilizados os testes de fisher e o teste qui quadrado. Os resultados encontrados revelaram que o sexo o feminino foi predominante com (n=67; 89,3%). A idade média foi de 42,68 anos com variação de 3 a 85 anos. A respeito da cor de pele, os pacientes autodeclarados brancos foram predominantes com (n=37; 49,3%). Quanto aos tipos de osteomielite, a osteomielite crônica secundária foi predominante (n = 63, 84%), seguida pela osteomielite aguda (n = 9, 12%) e a osteomielite crônica primaria (n = 3, 4%)). Quanto à localização anatômica, a mandíbula foi predominante com (n=70, 93,3%). Quanto as causas, a infeção odontogênica foi mais prevalente com (n=41; 54,7%). O processo inflamatório esteve presente em todos os casos (n=75; 100%). Quanto aos neutrófilos, estiveram ausentes na maioria dos casos (n=51; 68%) e presentes discretamente em (n=18; 24%). Diante dos resultados obtidos concluímos que a osteomielite é mais comum no sexo feminino com idade média de 42,68 anos, sendo o tipo mais comum a osteomielite crônica secundária, proveniente de infecção odontogênica e localizada em mandíbula. A associação entre o tipo de osteomielite e a presença ou ausência de colônias bacterianas mostrou associação estatisticamente significativa. O mesmo não aconteceu com as outras associações estatísticas realizadas nesta pesquisa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1258707 - ANTONIO DE LISBOA LOPES COSTA
Interna - 350485 - HEBEL CAVALCANTI GALVAO
Externa à Instituição - MARIA DE LOURDES SILVA DE ARRUDA MORAIS - UERN
Notícia cadastrada em: 20/09/2022 15:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao