Banca de DEFESA: NATÁLIA CRISTINA GARCIA PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATÁLIA CRISTINA GARCIA PINHEIRO
DATA : 23/09/2022
HORA: 14:30
LOCAL: DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA - AUDITÓRIO
TÍTULO:

CONHECIMENTO, NECESSIDADE E PREFERÊNCIA ACERCA DA ODONTOLOGIA DOMICILIAR E CONDIÇŌES DE SAÚDE BUCAL DE IDOSOS DOMICILIADOS: um estudo transversal


PALAVRAS-CHAVES:

Assistência Domiciliar, Odontologia, Idoso.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

Objetivo: O trabalho visa compreender o conhecimento, preferência e necessidade de atendimento odontológico (AOD), principalmente para população idosa, além de identificar a condição de saúde bucal dos idosos domiciliados e seus fatores associados. Metodologia: Trata-se de dois web surveys, sendo o primeiro com a população adulta escolarizada e o segundo com a população idosa. Além disso, também foi realizado um estudo com dados secundários de prontuários de idosos que utilizaram algum serviço de atendimento odontológico domiciliar para identificar a condição de saúde bucal destes.  Nos três estudos foram realizadas análise descritiva, teste do qui-quadrado e regressão robusta de Poisson com um nível de significância de 5%, tendo sido usado no último estudo a análise de Cluster de dois passos, previamente à regressão, para identificar grupos de pessoas idosas em relação à condição dentária e de reabilitação. Resultados: No primeiro estudo, 443 respondentes participaram, cuja predominância foi de mulheres (67,9%) e na faixa etária de 31 a 40 anos (38,8%). A maioria dos participantes (69,5%) não conhecem o que é atendimento odontológico domiciliar. O fato de ser mulher e profissional da saúde influencia diretamente no conhecimento desse tipo de atendimento. No segundo estudo, 203 idosos participaram, sendo 67% mulheres, na faixa de idade de 60 a 69 anos. A maioria dessa população não conhece a odontologia domiciliar (79,8%), nunca fez uso desse tipo de serviço (95,6%) e preferem ser atendidos em consultório odontológico (68,5%). Houve associação significativa entre conhecer a Odontologia domiciliar e ter plano de saúde médico. Foi observado inda que aqueles idosos que não têm plano de saúde e com nível de escolaridade mais baixo preferem ser atendidos em casa em relação ao consultório tradicional. No terceiro estudo, 207 prontuários de idosos foram avaliados, cujo sexo predominante foi o feminino (58,5%), com faixa de idade 80 a 89 anos e parcialmente dependentes para atividades básicas de vida diária. Em relação à condição de saúde bucal, o CPOD médio foi de 23,5, com 3,35 pares em oclusão, sendo 75,8% edêntulos funcionais. Nos prontuários, 53,6% das pessoas idosas possuíam sangramento à sondagem em algum sextante e cerca de 20% apresentavam lesão de boca. Os pacientes com mais lesão foram os idosos mais jovens, diabéticos e que foram ao dentista há mais tempo. Em relação à questão periodontal, pacientes mais jovens, moradores de residência individual e brancos possuem mais sangramento à sondagem. Em relação à condição dentária e de reabilitação, dois clusters foram produzidos, sendo o primeiro com idosos edêntulos e pouco reabilitados e o segundo com idosos mais dentados e reabilitados. Idosos negros e que não possuem plano de saúde possuem estiveram mais presentes no primeiro cluster. Conclusão: A população em geral e idosa pouco conhece e percebem que necessitam da atenção odontológica domiciliar. Como consequência, a população idosa mais independente ainda prefere ser atendida em consultório. Ademais, a condição de saúde bucal de pacientes que utilizam atendimento odontológico domiciliar ainda é precária, fruto de uma assistência odontológica mutiladora, caracterizando o cenário desigualdade social entre as pessoas idosas domiciliadas. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 277398 - KENIO COSTA DE LIMA
Interna - 2085732 - ANA RAFAELA LUZ DE AQUINO MARTINS
Externo à Instituição - GUSTAVO PINA GODOY - UFPE
Notícia cadastrada em: 14/09/2022 09:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao