Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANA CAMPOS PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANA CAMPOS PINHEIRO
DATA : 09/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

EFEITO BIOLÓGICO DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE EM PRÉ-OSTEOBLASTOS E FIBROBLASTOS CULTIVADOS NA SUPERFÍCIE DE ARCABOUÇOS POLIMÉRICOS TRIDIMENSIONAIS


PALAVRAS-CHAVES:

laserterapia; proliferação celular; biomateriais; engenharia tecidual.


PÁGINAS: 72
RESUMO:

O laser de baixa intensidade (LBI) tem apresentado efeitos positivos na proliferação e viabilidade de diversos tipos celulares, porém ainda é pouco utilizado no campo da engenharia tecidual. A primeira parte do trabalho avaliou, através de uma revisão sistemática de estudos in vitro, a aplicabilidade da fotobiomodulação como uma ferramenta auxiliar na engenharia de tecidos. De 8373 estudos inicialmente identificados a partir dos critérios de busca, 10 artigos atingiram os critérios de inclusão para análise. Os dados obtidos da maioria dos estudos revisados indicam que o LBI pode aumentar a proliferação e diferenciação de células cultivadas na superfície dos biomateriais. No entanto, a densidade da irradiação, o tempo de exposição, o tipo de célula cultivado e as características do arcabouço devem ser considerados na implementação de protocolos de fotobiomodulação mais precisos e adequados. Na segunda parte do trabalho será avaliado o efeito do LBI na viabilidade e proliferação de células cultivadas na superfície de arcabouços poliméricos produzidos pela técnica de fiação por sopro em solução. Células. Células das linhagens MC3T3-E1 (pré-osteoblastos) e NIH-3T3 (fibroblastos) serão cultivadas na superfície de arcabouços de ácido polilático e de ácido polilático/quitosana (50:50) e submetidas ou não (controle) a irradiação com laser diodo (InGaAlP; 660 nm; 30 mW; 4 J/cm²; 2min13seg; dose única; modo contínuo). As características da superfície dos arcabouços serão avaliadas antes e depois irradiação por microscopia eletrônica de varredura (MEV) e microscopia de força atômica (AFM). A viabilidade e proliferação celular serão avaliadas nos intervalos de 24, 48 e 72 h pós-irradiação, através dos ensaios do MTT, Alamar blue e Live/Dead, além da análise da integração célula-biomaterial por MEV. Espera-se que o protocolo utilizado favoreça a viabilidade e proliferação dos dois tipos celulares em ambos os arcabouços utilizados, o que poderá representar um avanço nas pesquisas em engenharia dos tecidos ósseo e cutâneo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2220417 - CARLOS AUGUSTO GALVAO BARBOZA
Interno - 2859541 - PEDRO PAULO DE ANDRADE SANTOS
Externo à Instituição - CARLOS EDUARDO BEZERRA DE MOURA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 03/08/2022 10:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao