Banca de DEFESA: CRISTIANNE KALINNE SANTOS MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CRISTIANNE KALINNE SANTOS MEDEIROS
DATA : 30/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: HÍBRIDO: DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA - AUDITÓRIO E GOOGLE MEET
TÍTULO:

ANÁLISE COMPARATIVA DO TRATAMENTO DO ARDOR BUCAL COM TERAPIA A LASER DE BAIXA INTENSIDADE E ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA NERVOSA TRASNCUTÂNEA: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO

 

PALAVRAS-CHAVES:

Síndrome da Ardência Bucal. Xerostomia. Disgeusia. Terapia com Luz de Baixa Intensidade. Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea.


PÁGINAS: 74
RESUMO:

Introdução: O manejo de pacientes portadores de ardor bucal é um desafio no cotidiano clínico. Objetivo: Comparar o efeito da Terapia a Laser de Baixa Intensidade (LLLT) e da Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea (TENS) no tratamento do ardor bucal. Metodologia: Ensaio clínico randomizado, constituído por 25 pacientes com ardor bucal, dos quais, 12 foram alocados no grupo TENS e 13 no grupo LLLT. O teste análise de variância (ANOVA) dois fatores foi usado para verificar se existia diferença significativa entre os tempos T0, T1, T2 e T3 em relação a sintomatologia, investigada através da Escala Visual Analógica (EVA), e fluxo salivar não estimulado com as intervenções de TENS e LLLT. Resultados: A maioria dos pacientes foi do sexo feminino com média de idade no grupo TENS de 59,25 anos e no grupo LLLT de 62,08. A análise da EVA evidenciou diferença significativa intragrupos (p<0,001), sendo que no grupo TENS ocorreu entre os tempos T0xT1, T0xT2 e T0xT3, e no grupo LLLT, entre T0xT2 e T0xT3. Observou-se diferença significativa para EVA entre a interação dos tempos com os grupos analisados (p=0,034), cuja diferença foi encontrada entre os intervalos de tempo T2 e T3 (p=0,003), em que o escore da EVA diminuiu no grupo LLLT, e aumentou no grupo TENS. O teste de tendência linear em relação ao fluxo salivar não estimulado evidenciou diferença estatística intergrupos entre os tempos T1 e T2, uma vez que o fluxo salivar aumentou no grupo TENS e diminuiu no grupo LLLT (p=0,052). Conclusão: A TENS e a LLLT foram eficazes na redução dos sintomas do ardor bucal durante as sessões de tratamento, sendo que a LLLT apresentou melhor escore para EVA no acompanhamento pós-tratamento. Adicionalmente, nenhuma das terapias empregadas apresentaram efeitos adversos.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 3218128 - AMANDA KATARINNY GOES GONZAGA
Externo à Instituição - ANTONIO ADILSON SOARES DE LIMA - UFPR
Externa à Instituição - EMELINE DAS NEVES DE ARAUJO LIMA - UFS
Interna - 2492713 - ERICKA JANINE DANTAS DA SILVEIRA
Presidente - 2644142 - PATRICIA TEIXEIRA DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 10/05/2022 08:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao