Banca de DEFESA: JOYCE MAGALHÃES DE BARROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOYCE MAGALHÃES DE BARROS
DATA : 07/07/2021
HORA: 14:30
LOCAL: PLATAFORMA VIRTUAL
TÍTULO:

IMUNOEXPRESSÃO DA PROTEÍNA ING3 EM QUEILITES ACTÍNICAS E CARCINOMAS DE CÉLULAS ESCAMOSAS DE LÁBIO INFERIOR


PALAVRAS-CHAVES:

Carcinoma de Células Escamosas; Carcinogênese; Queilite; Biomarcadores tumorais.


PÁGINAS: 92
RESUMO:

A família de inibidores de crescimento (inhibitor of growth - ING) corresponde a um grupo de genes supressores tumorais cuja expressão se apresenta alterada ou ausente em diversos tipos de câncer. Os produtos destes genes estão relacionados, principalmente, a processos celulares indispensáveis na carcinogênese, como remodelação da cromatina, proliferação celular, replicação e reparo do DNA. Este estudo avaliou a expressão imuno-histoquímica da proteína ING3 em 45 espécimes de queilite actínica (QA) e 48 espécimes de carcinoma de células escamosas de lábio inferior (CCELI). A expressão da proteína foi comparada entre os dois grupos de amostras, bem como com os parâmetros clínico-patológicos das lesões estudadas, através dos testes estatísticos Exato de Fisher, Kruskal-Wallis (KW), Mann-Whitney (U) e teste de correlação de Spearman. Um nível de significância de 5% foi adotado para todos os testes, sendo considerados significativos os valores de p ≤ 0,05. Não foram encontradas associações estatisticamente significativas entre as variáveis morfológicas de CCELI e tamanho do tumor, envolvimento linfonodal, estadiamento clínico, recorrência local e metástase linfonodal após tratamento (p>0,05). Óbitos foram significativamente mais frequentes em tumores de alto escore de risco histopatológico (p<0,05). Nas QAs, diferenças significativas na expressão de ING3 núcleo-citoplasmática, e restrita ao citoplasma, com a gradação de Kujan et al. (2006) foram encontradas (p<0,05). Nos CCELIs, não houve diferença estatisticamente significativa ao comparar as expressões de ING3 (núcleo-citoplasmática e restrita ao citoplasma) com os parâmetros clínicos e morfológicos (p>0,05). A expressão de ING3 núcleo-citoplasmática foi significativamente menor em CCELI quando comparada aos casos de QA (p<0,05) e a expressão restrita ao citoplasma foi significativamente maior nos CCELIs (p<0,05). Nossos resultados sugerem que há notável diminuição da expressão nuclear de ING3 conforme a progressão maligna, indicando função supressora tumoral prejudicada desta proteína em QAs e CCELIs. Entretanto, acredita-se que, na carcinogênese labial, ING3 caracteriza-se melhor como um promissor biomarcador de transformação maligna, do que um marcador preditor de comportamento biológico tumoral.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 344668 - LEAO PEREIRA PINTO
Interna - 346077 - LELIA BATISTA DE SOUZA
Externa à Instituição - ROBERTA BARROSO CAVALCANTE - UNIFOR
Notícia cadastrada em: 21/06/2021 15:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao