Banca de DEFESA: MAIARA DE LEMOS CAMARA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAIARA DE LEMOS CAMARA
DATA : 20/09/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Sala virtual
TÍTULO:

OPERAÇÃO DE RESERVATÓRIOS NO CONTEXTO DE TRANSFERÊNCIA DE ÁGUA ENTRE BACIAS HIDROGRÁFICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Transferência entre bacias; Operação de reservatório; PISF


PÁGINAS: 23
RESUMO:

As demandas por água têm aumentado substancialmente nas últimas décadas devido ao processo de desenvolvimento econômico, aumentando o risco de escassez hídrica. Essa situação se agrava nas regiões semiáridas como o nordeste brasil, que apresenta condições meteorológicas extremas. Uma das soluções para essa situação é a transferência de água entre bacias hidrográficas de uma com maior variabilidade hídrica para outra com necessidade de suprimento. Essas transferências entre bacias são frequentemente grandes e caras, sendo necessários estudos de regras para operação dos reservatórios, de forma a maximizar os benefícios e reduzir os custos. Nesse contexto, o objetivo geral deste estudo é a definição de critérios técnicos para operação de reservatórios de água no contexto de transferência de água entre bacias hidrográficas. Apresentando dois objetivos específicos: (i) avaliar qual a demanda futura que o reservatório é capaz de atender com as garantias desejadas, considerando a vazão transposta constante; (ii) analisar quando e quanto transferir a vazão do PISF de forma a minimizar os déficits de atendimento as demandas e o volume transferido. O estudo foi desenvolvido e aplicado ao reservatório Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves (ARG) no estado do Rio Grande do Norte, um dos açudes receptores das águas do Projeto de Integração do Rio são Francisco (PISF), no qual foi analisado um cenário de diagnóstico considerando a vazão constante do PISF e outros dois cenários de operação com a otimização da vazão transferida com base no estado hidrológico do reservatório no mês de agosto, sendo o primeiro transferindo a água no ano todo e o outro apenas no período chuvoso (janeiro a junho). Os resultados demonstram que com uma transferência constante e permanente da vazão exógena do PISF, a vazão regularizada da ARG deve aumentar proporcionalmente ao volume transferido, e o aumento da disponibilidade hídrica resulta em uma maior eficiência do uso da água, reduzindo o percentual de perdas com vertimento e evaporação. Verificou-se ainda que otimizar a transferência entre bacias com base no estado hidrológico do reservatório, reduz o volume total de vazão exógena a ser transferida, atendendo a mesma demanda, diminuindo assim os custos de transferência que o Estado teria. E quando se comparou a transferência de água entre bacias no ano todo ou apenas no período chuvoso, os resultados foram semelhantes de forma que outros fatores devem ser utilizados para auxiliar na tomada de decisão de quando transferir.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2190974 - JOANA DARC FREIRE DE MEDEIROS
Interna - 1759777 - ADELENA GONCALVES MAIA
Externa à Instituição - ANDREA SOUSA FONTES - UFRB
Externo à Instituição - CARLOS DE OLIVEIRA GALVÃO - UFCG
Notícia cadastrada em: 10/09/2021 11:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao