Banca de DEFESA: FELIPE ANTÔNIO LOPES CARDOSO SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FELIPE ANTÔNIO LOPES CARDOSO SILVA
DATA : 05/02/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do CCEA (Sala 212 do CTEC)
TÍTULO:

APLICABILIDADE DA FILTRAÇÃO LENTA NO TRATAMENTO DE ÁGUA DE LAGOAS LITORÂNEAS


PALAVRAS-CHAVES:

Filtração lenta. Protozoários. Giardia. Cryptosporidium. Análise de partículas. Bioantagonismo. Coeficiente de desuniformidade.


PÁGINAS: 47
RESUMO:

A filtração lenta é uma técnica utilizada desde o século XIX, que pode ser descrita como um tanque composto por um meio filtrante de areia de granulometria fina, colocada sobre uma camada suporte de pedregulho. Com a urbanização e o crescimento de áreas agropecuárias, os mananciais de abastecimento superficiais têm se tornado cada vez mais sujeitos a diversas formas de poluição, contribuindo para a prevalência dos protozoários nesses corpos hídricos. Diversos estudos vêm apontando a persistência de protozoários após a desinfecção, o que infere que tratamentos que incluem etapas como pré-ozonização, floculação, sedimentação, filtração rápida e cloração não significam necessariamente barreiras tão eficazes contra espécies como o Cryptosporidium. A filtração lenta é uma tecnologia de baixo custo e alto benefício. Ela depende de pouca ou nenhuma adição de produtos químicos e tem operação simples. Na literatura, é possível encontrar estudos apontando o bioantagonismo como mecanismo de remoção de microrganismos patogênicos, além disso também há menções de filtros lentos que apresentaram alta eficácia ao remover grandes concentrações de microrganismos persistentes como (oo) cistos de Cryptosporidium e Giardia, com remoções maiores que 5 log. Tendo em vista seu tamanho e dificuldade de remoção, além da persistência no meio ambiente e resistência aos processos de desinfecção, remover o Cryptosporidium pode significar também a remoção de todos os outros protozoários presentes na água. O filtro lento também remove de maneira eficaz a turbidez, sólidos suspensos e metais tóxicos na água tratada. Esse trabalho verificou a influência do coeficiente de desuniformidade no desempenho de filtros lentos em lagoas litorâneas. Foi possível remover turbidez, cor aparente, cor verdadeira, detectar partículas predominantemente na faixa de 1 μm  e atestar a formação do Schmutzdecke e da remoção de coliformes totais e E. coli.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1759924 - HELIO RODRIGUES DOS SANTOS
Interno - 376.950.452-68 - ANDRE LUIS CALADO ARAUJO - IFRN
Externa ao Programa - 1615358 - JAZIELLI CARVALHO SA
Externo à Instituição - JEAN LEITE TAVARES - IFRN
Notícia cadastrada em: 28/01/2019 14:22
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao