Banca de QUALIFICAÇÃO: VITÓRIA CIBELY SILVEIRA PENHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VITÓRIA CIBELY SILVEIRA PENHA
DATA : 10/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: meet.google.com/xmg-cqqv-cid
TÍTULO:

SOLUBILIDADE DO CARBONATO DE CÁLCIO NAS CONDIÇÕES DO PROCESSO DE REGENERAÇÃO DO MONOETILENOGLICOL


PALAVRAS-CHAVES:

SOLUBILIDADE; MODELAGEM TERMODINÂMICA; INCRUSTAÇÃO; HIDRATOS DE GÁS NATURAL


PÁGINAS: 52
RESUMO:

Apesar do grande crescimento da exploração de energias oriundas de fontes renováveis, é inquestionável a importância da exploração do petróleo e gás natural para economia e desenvolvimento global. Tendo isso em mente, ainda existem problemáticas quanto a exploração destes materiais que necessitam de estudo para que sejam resolvidas, acarretando diminuição do custo deste processo (MONTEIRO et al., 2021).

Um dos problemas existentes na produção de petróleo e gás natural é a formação de hidratos ocasionados a partir da presença de água e hidrocarbonetos leves a baixas temperaturas e elevadas pressões, que são as condições offshore normalmente encontradas. A formação de hidratos pode chegar a obstruir completamente os dutos causando interrupção do processo produtivo. Isto requer a remoção dos hidratos e pode gerar prejuízos ao processo, pois além de interromper a produção, a obstrução de linhas de gás traz riscos para o campo produtor (OLIVEIRA, 2014).

Com o intuito de evitar o congestionamento das linhas a indústria petrolífera utiliza compostos inibidores de hidratos que são injetados na cabeça dos poços, impedindo a formação de hidratos. Porém, os inibidores apesar de solucionarem esse problema também acabam gerando dificuldades subsequentes, como a precipitação de sais que estão na água produzida devido ao efeito salting-out do solvente orgânico (CHAPOY et al., 2012).  

A escolha do inibidor a ser utilizado é de grande importância, dentre os inibidores existentes o monoetilenoglicol (MEG) é um dos mais utilizados. Isto devido as propriedades como uma baixa pressão de vapor e alta solubilidade em água o que facilita a separação das fases líquidas e da fase gasosa, onde o óleo é separado por diferença de densidade (decantação), o gás segue para desidratação e purificação, e a corrente da mistura água e MEG juntamente com sais presentes segue para a regeneração do monoetilenoglicol para que o mesmo seja reutilizado no processo (AMARAL-FILHO et al., 2016).

Como dito anteriormente, a presença do monoetilenoglicol pode ocasionar uma maior precipitação dos sais presentes na mistura, e quando essa precipitação ocorre acaba gerando indesejáveis incrustações nas tubulações e equipamentos do processo de regeneração do MEG. Isto provoca ineficiência nos equipamentos, podendo até obstruir fluxo e interromper o processo. Os sais mais presentes que provocam essas incrustações são os carbonatos, sulfatos e cloretos. Tendo isso em mente o trabalho busca estudar o carbonato de cálcio (CaCO3), pois além de estar presente na água dos poços oriundos de rochas calcárias, apresenta baixa solubilidade, torna um importante objeto de estudo (FIGUEIREDO et al., 2014).

Outro motivo para a escolha do carbonato de cálcio é o problema gerado a partir de sua precipitação no processo de regeneração do monoetilenoglicol. Babu et al. (2015) mostram em seu trabalho os grandes danos causados devido a precipitação deste sal, pois no processo de regeneração os sais em suspenção acabam se acumulando em filtros, trocadores de calor, dentre outros equipamentos chegando a causar danos os quais são necessários a parada do processo para limpeza, e muitas vezes até troca de peças ou equipamentos que anteriormente estavam em um bom estado de funcionamento. Além de mostrarem os danos causados nas plantas de regeneração foi observada uma maior predominância da presença de carbonato de cálcio do que dos demais, provavelmente associada a sua baixa solubilidade em água.

Com isso o estudo do equilíbrio de fases de sistemas aquosos contendo CaCO3, NaCl, MEG na presença e ausência de CO2 possui grande importância no entendimento dos processos de produção de gás natural visando evitar perdas causadas por interrupções de limpeza e remoção de incrustações, bem como de segurança.

Este trabalho tem como objetivo geral estudar o comportamento do sistema aquoso de carbonato de cálcio contendo monoetilenoglicol na presença e ausência de dióxido de carbono, analisando os dados de solubilidade e do equilíbrio experimentais e os dados de solubilidade existentes na literatura, buscando a reprodução do equacionamento para o cálculo da solubilidade do carbonato de cálcio nas condições do sistema.

 · Determinar dados do equilíbrio dos sistemas Água + MEG + CaCO3 na presença e ausência de CO2.

· Determinar dados de solubilidade do CaCO3 em diferentes temperaturas.

· Estudar o sistema água, carbonato de cálcio e dióxido de carbono.

· Determinar uma equação para o cálculo da solubilidade do carbonato de cálcio.

· Mostrar coerência entre os dados experimentais e os dados calculados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149554 - OSVALDO CHIAVONE FILHO
Externo à Instituição - RAFAEL BARBOSA RIOS - UFERSA
Externo à Instituição - ANDRE LUIS NOVAIS MOTA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 23/07/2021 22:43
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao