PPGEP/CT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CENTRO DE TECNOLOGIA Telefone/Ramal: (84) 3342-2255/402 https://posgraduacao.ufrn.br/pep

Banca de QUALIFICAÇÃO: ELIELTON PEDROZA DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELIELTON PEDROZA DOS SANTOS
DATA : 30/08/2021
HORA: 16:00
LOCAL: Online
TÍTULO:

A ATIVIDADE DO TÉCNICO DE ENFERMAGEM EM SALA DE CIRURGIA DE UM HOSPITAL PÚBLICO DE TRAUMA DE NATAL/RN: UMA CONTRIBUIÇÃO DA ERGONOMIA PARA A PREVENÇÃO E MITIGAÇÃO DE EVENTOS ADVERSOS E A MELHORIA DA SEGURANÇA DO PACIENTE


PALAVRAS-CHAVES:

Ergonomia. Segurança do paciente. Eventos adversos. Enfermagem. Sala de cirurgia.

Link de acesso: https://bityli.com/QualificaçõesGREPE-PEP-UFRN


PÁGINAS: 120
RESUMO:

Espera-se que o paciente que é atendido em um hospital saia de lá com a saúde melhor que antes, e curado. Nem sempre é isto que ocorre e são várias as razões, de ordem técnica, organizacional contextual e estrutural que ameaçam a segurança de certos pacientes, que vão além da evolução intrínseca do problema de saúde que cada um possui, podendo agravar sua saúde. É o caso do Evento Adverso (EA).  Entendendo o hospital como um sistema, e os procedimentos de enfermagem em centro cirúrgico como parte da atividade de cuidado à saúde, o EA é a manifestação incidental de alguma variabilidade ocorrida durante as ações de cuidado à saúde do paciente.  Os eventos adversos (EAs) estão cada vez mais no centro das preocupações das políticas públicas em todo o mundo, como também dos sistemas de gestão hospitalares e do meio científico, porque este tipo de ocorrência não é raro, tem provocado muitas vítimas, gerando agravamento do quadro clínico, sequelas, óbitos, prolongamento do tempo de tratamento e internação e aumento dos custos com a saúde do paciente. Segundo dados da ANVISA, no Brasil, em 2017, ocorreram 3.095 incidentes em centros cirúrgicos, contabilizando 403 falhas durante o procedimento cirúrgico, sendo parte destes números representados por EAs. No Rio Grande do Norte, entre dezembro de 2019 e novembro de 2020, ocorreram 18 falhas durante o procedimento cirúrgico, com 01 óbito. Sabe-se, no entanto, que estes dados são subnotificados. As metas internacionais de Segurança do Paciente (SP) compõem um passo muito importante para se alcançar o cuidado seguro, com o propósito de mitigar ou eliminar o risco de EAs, porém fazem-se necessárias mudanças na cultura de segurança organizacional da instituição hospitalar, voltadas para o aprendizado consciente e permanente. Assim, uma maior atenção deve existir quanto à implementação de medidas que garantam a segurança cirúrgica dentro dos hospitais por parte de todos os envolvidos. Nesse sentido, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estabeleceu diretrizes para promover a SP durante procedimentos cirúrgicos, definindo etapas e responsabilidades de toda a equipe multiprofissional, tendo como um dos seus objetivos garantir que o procedimento correto, seja feito no paciente correto, no local correto, com todos os recursos necessários disponíveis. No contexto hospitalar, a Ergonomia visa à compreensão das variabilidades técnicas, organizacionais e individuais existentes nas situações de trabalho, dos contrantes e das exigências físicas, cognitivas e organizacionais da atividade de trabalho dos profissionais de saúde, além das respostas (estratégias, regulações) destes profissionais diante das variabilidades, dos contrantes e das exigências, e da relação de tudo isso com a segurança do paciente. Este projeto tem por objetivo geral analisar a atividade do técnico de enfermagem quanto aos contrantes e às variabilidades das atividades envolvidas e sua relação com a ocorrência de EAs, além de investigar as estratégias e regulações adotadas por este profissional em sala de cirurgia de um Hospital de Trauma de Natal/RN. Metodologicamente, serão realizadas pesquisas bibliográficas, análise documental e pesquisa de campo. Para a pesquisa de campo, será utilizado o método situado e participativo da Análise Ergonômica do Trabalho (AET), por meio da qual serão aplicadas técnicas interacionais e observacionais, auxiliadas por registros fotográficos e filmagem. A hipótese geral do estudo é que a atividade dos técnicos de enfermagem apresenta contrantes e variabilidades que podem favorecer o surgimento de EAs, fazendo com que eles venham a adotar estratégias e regulações para evitar ou mitigar a ocorrência destes eventos, para garantir a SP durante o processo cirúrgico. A presente pesquisa terá uma fundamental contribuição para a gestão da SP durante o processo cirúrgico, resultando na diminuição da ocorrência de EAs relativos a este processo e, consequentemente, na melhoria da qualidade da SP em si e do serviço prestado como um todo. Por fim, contribuirá, cientificamente, para o avanço teórico e metodológico do campo interdisciplinar da Ergonomia aplicada à SP, pelo caráter situado e etnográfico da pesquisa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1217772 - RICARDO JOSE MATOS DE CARVALHO
Interno - 1142787 - JOSE ALFREDO FERREIRA COSTA
Externo ao Programa - 1868020 - ZENEWTON ANDRÉ DA SILVA GAMA
Externa à Instituição - MARIA CHRISTINE WERBA SALDANHA - UFPB
Notícia cadastrada em: 30/08/2021 14:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao