Banca de DEFESA: RAYRA MASS LUCENA DE SENA LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAYRA MASS LUCENA DE SENA LIMA
DATA : 24/11/2020
HORA: 14:00
LOCAL: natal
TÍTULO:

PROTOCOLO DE CUIDADOS PARA REDUÇÃO DE RISCOS DE LESÃO POR PRESSÃO EM PACIENTES DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras Chave: Lesão por pressão. Unidade de Teapia Intensiva. Protocolo de Cuidados.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

Atualmente as discussões sobre a importância da Segurança do Paciente ganharam grandes repercussões no âmbito mundial. Definida pelo Ministério da Saúde como uma redução, a um mínimo aceitável, do risco de dano desnecessário associado aos cuidados de saúde, a Segurança do Paciente visa trabalhar com seis metas internacionais, dentre elas, destaca-se a minimização do risco de quedas e lesão por pressão. Estudos recentes comprovam que os índices de lesão por pressão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) podem chegar a 50% dos pacientes internados, constatando um indicador negativo da qualidade da assistência prestada. A Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal de Natal, reconhecida como UTI de referência do Município de Natal/RN, em conjunto com o Programa Paciente Seguro do Ministério da Saúde que concedeu à instituição a oportunidade de implantar as metas internacionais de segurança do paciente, atribuindo a UTI o projeto piloto de minimização do risco de lesão por pressão. Objetivo: Diante da realidade apresentada e da oportunidade de contribuir com o projeto supracitado, o objetivo deste trabalho é construir, em conjunto com os enfermeiros da UTI adulto do referido hospital, um Protocolo de assistência de enfermagem relacionado com a prevenção da lesão por pressão visando a segurança do paciente. Metodologia: O desenho qualitativo foi pautado na Pesquisa Convergente Assistencial, partindo de uma análise dos prontuários para identificação dos escores das Escalas de Braden aplicadas aos pacientes internados na UTI referência no último ano, em um segundo momento foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os enfermeiros da UTI, referente a seus conhecimentos sobre o assunto em questão, suas necessidades e potencialidades. A análise do material empírico aconteceu através do Discurso do Sujeito Coletivo e a partir dessa etapa de-se início a construção do Protocolo em conjunto com todos os enfermeiros da UTI, Núcleo de Segurança do Paciente e Comissão de Controle de Infecção Hospitalar em grupos de trabalho previamente estruturados. Resultados: Dos 177 pacientes internados em UTI no hospital avaliado, 46,33% eram do sexo feminino e 53,67% pertenciam ao sexo masculino, com média de idade de 65,3(± 16,50) anos. Apenas 7,34% evoluíram para óbito. Referente a incidência de LPP durante a internação na UTI foi constatado uma diferença de 53,67% em homens, comparado a 46,33% de incidência em mulheres. O tempo médio de internação dos pacientes que desenvolveram LPP na UTI foi de 14,51 dias e daqueles que não desenvolveram foi de apenas 5,57 dias. Foi identificado que a média do score na admissão dos pacientes que desenvolveram LPP foi de 12,19, e os que não desenvolveram LPP 13,47. Os scores dos pacientes que adquiriram LPP durante sua internação variaram de 10,37 a 13,07; já os que não desenvolveram LPP obtiveram uma variação de 11,93 a 14,39. Com relação a parta qualitativa do estudo ,a análise dos depoimentos foi baseada em seis questionamentos, que resultaram em nove DSC. As respostas foram subdividas em  “Categoria A”  e “Categoria B” quando dois tipos de respostas diferentes foram obtidos. Com isso, os questionamentos 1, 2 e 3 apresentam DSC nas categorias A e B, enquanto os questionamentos 4, 5 e 6 apenas apresentam DSC na “Categoria A”.  Conclusão: Os resultados permitiram traçar a realidade do serviço estudado, fornecendo subsídios para o planejamento da assistência prestada e intensificando a atenção para os desafios que temos diante da problemática representada pelas LPP. O estudo possibilitou uma melhor compreensão das condições vivenciadas pelos enfermeiros que atuam em UTI apontando potencialidades, dificuldades e limitações na prevenção e tratamento as LPP. Foi elaborado o protocolo pela própria equipe da instituição visando uma padronização da assistência prestada ao paciente grave com o intuito da diminuição dos eventos adversos relacionados a lesão por pressão na UTI.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 9350807 - ELIANE SANTOS CAVALCANTE
Externo à Instituição - IVANILDA LACERDA PEDROSA
Presidente - 1056859 - VERBENA SANTOS ARAUJO
Externa ao Programa - 2330137 - VILANI MEDEIROS DE ARAUJO NUNES
Notícia cadastrada em: 16/11/2020 10:06
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao