Banca de DEFESA: CARLA LARISSA FERNANDES PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CARLA LARISSA FERNANDES PINHEIRO
DATA : 10/04/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Escola de Saúde da UFRN - Sala 15
TÍTULO:

PRÁTICAS ASSISTENCIAIS E DE GESTÃO NA PREVENÇÃO DAS INFECÇÕES PRIMÁRIAS DA CORRENTE SANGUÍNEA


PALAVRAS-CHAVES:

Infecções Relacionadas a Cateter; Profissionais Controladores de Infecções; Segurança do Paciente.


PÁGINAS: 168
RESUMO:

No contexto atual, a pertinência de prevenir as Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde constitui grande desafio nas práticas assistenciais no âmbito hospitalar. Conceitualmente, as Infecções Primárias da Corrente Sanguínea são classificadas como aquelas laboratorialmente confirmadas por meio de resultados positivos de hemocultura em pacientes em uso de Cateter Venoso Central, reconhecendo-se, portanto, cada vez mais a importância da atuação dos profissionais na prevenção da ocorrência desses eventos nas Unidades de Terapia Intensiva bem como do apoio institucional e da gestão no enfrentamento das demandas e dificuldades para a realização de um cuidado seguro. Esse trabalho teve por objetivo analisar as práticas assistenciais e de gestão relacionadas à prevenção das Infecções Primárias da Corrente Sanguínea associada ao cateter venoso central na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital universitário. Trata-se de um estudo de abordagem mista em que foi utilizada a triangulação metodológica na coleta de dados a partir da combinação de métodos quantitativos e qualitativos. Assim, a coleta de dados incluiu a aplicação de um questionário estruturado com os profissionais com questões abertas e fechadas capazes de avaliar o conhecimento e a realização das práticas seguras para prevenção de IPCS, assim como levantar as dificuldades elencadas pelos mesmos para não seguimento das ações preventivas. Além disso, realizou-se a observação sistemática não participante dos procedimentos de inserção de cateter realizadas pelos médicos, bem como preparo, administração de medicação e troca de curativos realizados por enfermeiros e técnicos de enfermagem. Por fim, foi realizado o grupo focal com a participação de membros da SCIH, a responsável técnica da UTI; a coordenadora de enfermagem da UTI; a representante da divisão de enfermagem do Hospital; representantes da gerência de atenção à saúde, do setor de vigilância em Saúde e de representantes do Núcleo de Segurança do Paciente a fim de diagnosticar o enfrentamento por parte da gestão diante na necessidade de um cuidado seguro cada vez mais emergente. A análise dos dados quantitativos foi do tipo descritivo a partir da utilização do EXCEL, versão 2017, para realização das tabelas descritivas e aplicação de testes estatísticos utilizou-se o software Statistica SPSS, versão 25.0, enquanto que a qualitativa baseou-se na análise de conteúdo por Minayo com a utilização de ferramenta tecnológica pelo software Atlas Ti versão 8.0 para devida organização e categorização dos dados. O projeto de pesquisa foi aprovado pelos Comitês de Ética e Pesquisa da UFRN e do HUOL conforme Parecer Consubstanciado nº 2.721.411/CAAE: 80013817.8.3001.5292. A análise dos dados permitiu realizar a caracterização dos profissionais envolvidos no cuidado e traçar um perfil de atuação dos mesmos, elencando as práticas assistenciais relacionadas a ocorrência dessas infecções como baixa adesão à higienização das mãos ou inadequação da prática para antes da realização dos procedimentos, fragilidades nos cuidados elementares como na desinfecção do frasco ampola/ampola com álcool 70% durante o preparo das medicações e a fricção dos conectores com solução alcóolica antes da administração de medicação no cateter venoso central. As dificuldades elencadas pelos profissionais para seguimento das práticas seguras estiveram relacionadas à falta de capacitação frequente e divulgação dos protocolos, turno de trabalho, falta de insumos e alto fluxo de profissionais circulantes na unidade. Em contrapartida, as ações da gestão institucional demonstraram estar voltadas principalmente para controle do fluxo de profissionais na UTI, estratégias ainda que incipientes de acesso aos protocolos e de treinamento para o turno da noite. Surgiram ainda na discussão propostas de soluções para as demandas emanadas dos profissionais, sugerindo a necessidade de envolver a equipe na construção dos protocolos, organização tecnológica interna para controle do desabastecimento, padronização do acesso à UTI para solução do fluxo de profissionais e aumento da periodicidade dos treinamentos, principalmente no horário da noite. Os resultados da pesquisa apontam que a mudança de uma realidade depende da mudança de comportamento doa atores envolvidos, sendo fundamental e necessária uma reflexão tanto dos profissionais acerca de suas práticas, quanto dos gestores no cumprimento e condução das ações de prevenção. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2568454 - ELISANGELA FRANCO DE OLIVEIRA CAVALCANTE
Interna - 2474945 - IZAURA LUZIA SILVERIO FREIRE
Externa à Instituição - ALCIVAN NUNES VIEIRA - UERN
Notícia cadastrada em: 19/03/2019 17:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao