Banca de DEFESA: VALDELANDA DE PAULA ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VALDELANDA DE PAULA ALVES
DATA : 14/12/2020
HORA: 09:00
LOCAL: WEBCONFERÊNCIA https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/posgraduacao-huol-sala-b
TÍTULO:

Empoderamento do paciente na redução de eventos adversos em hospitais.


PALAVRAS-CHAVES:

Empoderamento do Paciente; Segurança do Paciente; Educação; Eventos Adversos.


PÁGINAS: 105
RESUMO:

A temática segurança do paciente tem sido discutida entre prestadores de serviços, instituições de saúde e governos em suas diferentes esferas, por mais de uma década. Neste sentido, é crescente o número de pesquisas demonstrando que a participação do paciente no seu cuidado é fundamental para evitar eventos adversos. O gerenciamento de riscos não só pela equipe, mas também pelo paciente e seu acompanhante, traz transparência e responsabilidade compartilhada no processo de tomada de decisão em saúde. Ainda assim, na prática clínica observa-se a necessidade da mudança no contexto de saúde sobre o empoderamento o paciente, sendo este, ator que deveria estar envolvido diretamente em seus cuidados. O cuidado centrado na pessoa torna, pois, o paciente um parceiro da equipe assistencial, podendo ele atuar como barreira para eventos adversos. Considerando um diagnóstico situacional realizado em 2019 no hospital no período entre 2015 a 2018, no qual o referido estudo foi realizado, contabilizou-se um total de 749 eventos adversos, deste um óbito, denominado Never events, um evento que não era para acontecer (VIGIHOSP, 2016). Objetivos: a) identificar, por meio de revisão sistemática da literatura, qual o impacto do empoderamento do paciente na redução de eventos adversos durante hospitalização; b) conhecer a percepção dos profissionais do HUGV/AM sobre o empoderamento do paciente na prevenção de eventos adversos; c) analisar o efeito de uma intervenção na rotina da equipe na redução de eventos adversos; d) produzir material educacional que deverá ser veiculado via AVASUS. Método: pesquisa de método misto composta por: a) um estudo de revisão sistemática da literatura para o qual foi utilizado protocolo específico com base no checklist PRISMA-P, baseado no acrônimo PICO, seguindo os critérios do checklist. As estratégias de busca foram aplicadas nos bancos de dados (Cochrane, Lilacs, PubMed, Scopus e Web of Science) e na literatura cinzenta (Google acadêmico, Open Gray, e ProQuest). O risco de viés foi avaliado usando a Lista de Verificação Crítica de Avaliação da Cochrane para estudos de intervenção e a qualidade das evidências foi avaliada pelo GRADE; b) um estudo de caso, transversal, do tipo exploratório-analítico; c) uma pesquisa aplicada, de intervenção com tecnologia leve, de médio prazo. Participaram dos estudos b e c os profissionais que atuaram na assistência de pacientes adultos internados na clínica médica do HGV/AM. d) pesquisa metodológica para o desenvolvimento de roteiro do material educativo. Foram realizadas análises quantitativas descritivas e inferenciais e qualitativas dos dados obtidos nos estudos. Resultados: a) Retornados, após aplicados os critérios de inclusão/exclusão 6 artigos para análise sistemática; b) os profissionais percebem que o empoderamento do paciente é importante para a prevenção de eventos adversos; c) durante o período de 1 ano, observando a inserção das perguntas sobre o empoderamento do paciente frente aos eventos adversos no formulário da rotina dos profissionais, houve diferença estatisticamente significativa na redução dos eventos adversos de identificação e de quedas, mas não nos eventos de lesão de pele e administração de medicamentos; d) após a revisão do roteiro, o mesmo encontra-se aprovado e será utilizado para a produção de material educativo via AVASUS, como parte do Curso Segurança do Paciente já existente na plataforma. Conclusão: O empoderamento do paciente e de seu acompanhante pode reduzir os efeitos adversos durante internação e a proposição de intervenções com tecnologia leve, como a inserção das perguntas no formulário de segurança do paciente representam uma possibilidade de baixo custo para a minimização de EA nos hospitais. A realização de estudos longitudinais com a adoção de outras intervenções para a conscientização de equipes de saúde, pacientes e seus acompanhantes sobre o seu papel na prevenção de eventos adversos é desejável.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1717611 - JOSELI SOARES BRAZOROTTO
Interna - 1790060 - ALINE DE PINHO DIAS
Interna - 2200719 - MARIA CLAUDIA MEDEIROS DANTAS DE RUBIM COSTA
Externa ao Programa - 1804274 - SHEILA ANDREOLI BALEN
Externa à Instituição - HADELÂNDIA MILON DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 06/12/2020 21:09
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao