Banca de QUALIFICAÇÃO: ADAIR DIVINO SILVA BADARO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADAIR DIVINO SILVA BADARO
DATA : 30/11/2018
HORA: 10:00
LOCAL: A definir
TÍTULO:

MODIFICAÇÃO DA SUPERFÍCIE DA FIBRA DE POLIÉSTER ATRAVÉS DO PLASMA PARA MELHORIA DO DESEMPENHO DE SOLIDEZ À LAVAGEM DA APLICAÇÃO DO REPELENTE A INSETOS A BASE PERMETRINA


PALAVRAS-CHAVES:

Plasma, Poliéster, Permetrina, Repelente a Insetos, Têxtil Funcional


PÁGINAS: 62
RESUMO:

Ao longo da História da humanidade, os têxteis têm desempenhado várias funções, desde a proteção à moda. A globalização tem tido uma grande influência na evolução dos têxteis funcionais, para proteção da saúde. Um dos efeitos da globalização é a demanda de prevenção a picadas de mosquito, que podem causar uma sensação desagradável e transmitir a doença do vetor, como a dengue, malária e outras doenças à humanidade. Para a OMS (Organização Mundial da Saúde), as doenças transmitidas por vetores são responsáveis por cerca de 17% da totalidade das doenças infecciosas, levando a mais de 1 milhão de mortes a cada ano. A falta de vacinas e métodos para tratar as doenças, torna a prevenção da picada a mais eficiente proteção à saúde. A aplicação de repelentes de mosquitos na pele tem efeito de proteção limitado. Baseado nisso a OMS orienta tratar os tecidos de vestuário com agentes repelentes, pois é uma maneira muito eficiente de evitar picadas de mosquitos. A substância que tem se mostrado com maior eficiência na mortalidade de transmissores de doença é a permetrina, que é um inseticida sintético inodoro e biodegradável derivado da planta Chrysanthemum cinerariifolium. É o único em seu papel como inseticida de contato via toxicidade neural e como repelente de insetos e baixa toxidade em mamíferos. O tecido de Poliéster foi à fibra utilizada, pois, as fibras sintéticas são mais de 55% dos produtos da indústria têxtil e superam a produção de fibras naturais, além das propriedades de alto módulo e resistência, rigidez, elasticidade, resistência a rugas e abrasão, custo relativamente baixo e facilidade de reciclagem. Devido à baixa afinidade entre poliéster e permetrina o processo de modificação da superfície por plasma foi adotado, pois, se trata de uma técnica limpa e inovadora para melhorar a qualidade do produto. O tratamento do plasma têxtil é obtido pela modificação da superfície sem modificar as propriedades básicas dos materiais. O processo foi realizado com os gases O², N² e mistura de 70/30 O²/N². Com objetivo de realizar alterações físicas e químicas de radicais na superfície do material têxtil. Depois foram taradas com solução de 200g/l de permetrina em foulard, passou pela secagem e polimerização. Parte das amostras serão lavadas 10, 35 e 60 vezes, para comparação com amostras não tratadas sobre a eficiência do processo em relação a ancoragem da permetrina nas fibras de poliéster. Análises como o XPS avaliará a alteração nas cadeias químicas do material, o FTIR avaliará a manutenção da permetrina na fibra das amostras através dos picos característicos. O MEV-FEG avaliará a superfície do material. Com estes dados será possível identificar e controlar cada processo e qual sua interferência sobre o material têxtil. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2614274 - MICHELLE CEQUEIRA FEITOR
Interno - 2550377 - THERCIO HENRIQUE DE CARVALHO COSTA
Externo à Instituição - RUBENS CAPISTRANO DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 22/11/2018 12:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao