Banca de QUALIFICAÇÃO: CLARA LUÍSA BEZERRA DE RUBIM COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CLARA LUÍSA BEZERRA DE RUBIM COSTA
DATA : 07/12/2018
HORA: 14:30
LOCAL: ECT Sala 8
TÍTULO:

OBTENÇÃO DE FILMES BIODEGRADÁVEIS PARA APLICAÇÃO NA PERMEABILIDADE DE FÁRMACOS


PALAVRAS-CHAVES:

PCL, PBAT, filmes, evaporação por solvente, permeação


PÁGINAS: 70
RESUMO:

Filmes poliméricos biodegradáveis foram obtidos por meio do método de inversão de fases pela técnica de evaporação por solvente, a partir dos polímeros Poli(caprolactona) (PCL) e Poli(Adipato Co-Tereftalato de Butileno) (PBAT), utilizando como solvente Clorofórmio. Os filmes foram obtidos nas proporções de 20:80, 15:85 e 10:90 em massa de polímero. Também foram formados filmes com adição de não solvente: água destilada. Os filmes foram caraterizados pelos métodos de MEV, DRX, FTIR, Molhabilidade, Análises Térmicas de TG e DSC e Permeação a vapor. As curvas de DRX indicaram uma estrutura compatível com os resultados obtidos em outros estudos. Verificou-se picos cristalinos característicos de ambos os polímeros, e nos filmes contendo também a água destilada percebeu-se que houve diminuição na intensidade dos picos bem como os deslocou. O mesmo pode-se observar nos espectros de FTIR, em que identificou-se as bandas correspondentes as ligações C-H, C=O, CH2 e C-O para o PBAT, e bandas de absorção C-H, C=O, CH2, C-O, C-C e COC para o PCL. Por MEV, foi visualizada uma morfologia densa para os filmes obtidos com polímero puro, e que não houve grande alteração na morfologia dos filmes com a presença do não solvente, em que a forma de adição deste e seu tempo de dissolução não provocaram modificações consideráveis na morfologia do filme. Por meio dos testes de molhabilidade em água destilada, foi observado que a presença do não solvente alterou o ângulo de contato das amostras. Pelas análises térmicas, observa-se que o filme, após processamento, não possui traços significativos do solvente utilizado, sendo possível observar também que o PCL possui uma menor estabilidade térmica em relação ao PBAT. Além disso, o acréscimo da água destilada nos filmes não causou alterações significativas nas características térmicas do material. Em relação a permeação a vapor d’água, pode-se dizer que para polímeros hidrofóbicos, os resultados foram satisfatórios, indicando que poderão ser utilizados na permeação a fármacos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2254759 - AMANDA MELISSA DAMIAO LEITE
Externo ao Programa - 1718775 - KALINE MELO DE SOUTO VIANA
Externo ao Programa - 2321426 - KELLY KALIANE REGO DA PAZ RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 16/11/2018 11:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao