Banca de DEFESA: JOÃO ALFREDO DE ALMEIDA BARROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO ALFREDO DE ALMEIDA BARROS
DATA: 16/05/2013
HORA: 13:30
LOCAL: Sala 94 do Centro de Tecnologia - CT/UFRN
TÍTULO:

ESTUDO DO APROVEITAMENTO DO REJEITO DA MINERAÇÃO DE ESMERALDAS NA PRODUÇÃO DE REFRATÁRIOS CONFORMADOS ISOLANTES


PALAVRAS-CHAVES:

Rejeito da mineração de esmeraldas, meio ambiente, sustentabilidade, refratário conformado isolante.


PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

A mineração de esmeraldas é uma importante área da atividade econômica do Brasil, país que ocupa o segundo lugar entre as nações exportadores dessa gema. Em virtude do processo de extração, uma grande quantidade de rejeito é gerada. Como não há uma destinação apropriada, o rejeito é abandonado ao redor das mineradoras, contribuindo, assim, para a degradação do meio ambiente. Atualmente, alguns dos pontos de maior relevância para a indústria em geral são: conservação de energia, redução de custos, melhoria de qualidade e produtividade. A produção de refratários conformados isolantes ganha a dimensão de sustentabilidade quando a proteção ao meio ambiente é incorporada a tal processo. Este trabalho investiga o uso de rejeitos da mineração de esmeraldas na massa cerâmica de materiais refratários, com intuito de obter um produto com características compatíveis aos produtos comerciais e, ao mesmo tempo, viabilizar a utilização de tais rejeitos para solucionar o problema ambiental gerado por seu descarte na natureza. Análises de fluorescência de raios x mostram que o rejeito de esmeraldas obtido após a flotação para retirada de molibdênio e mica possui 70% de sílica e alumina (SiO2+Al2O3) e 21% de uma mistura de óxidos básicos de metais alcalinos e alcalinos terrosos (Na2O, K2O, CaO e MgO). Em função dos significativos teores de sílica e de alumina presentes no rejeito, quatro massas cerâmicas refratárias foram preparadas. Corpos de prova com forma retangular e dimensões 100x50x10 mm foram prensados em uma matriz de aço a 27,5 MPa e sinterizados a 1200ºC por 40 min. sob atmosfera ambiente em forno resistivo. Os corpos de prova sinterizados foram caracterizados com relação à composição química (FRX), composição mineralógica (DRX), microestrutura (MEV) e propriedades físicas e mecânicas. A massa cerâmica com 45% de rejeito, 45% de alumina e 10% de caulim exibiu uma refratariedade de 1420oC, variação linear inferior a 2,00%, massa específica aparente de 1,54 g/cm3 e porosidade de 48,06%, o que demonstra o potencial de aplicação do rejeito como matéria-prima para a indústria de materiais refratários conformados isolantes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ELCIO CORREIA DE SOUZA TAVARES - UnP
Presidente - 2613355 - FRANCINE ALVES DA COSTA
Externo à Instituição - GILSON GARCIA DA SILVA - IFRN
Externo ao Programa - 345842 - UILAME UMBELINO GOMES
Notícia cadastrada em: 03/05/2013 18:01
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao