Banca de DEFESA: CAMILLA DE MEDEIROS DANTAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILLA DE MEDEIROS DANTAS
DATA: 27/12/2011
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 94 do Centro de Tecnologia - CT/UFRN
TÍTULO:

INFLUÊNCIA DA QUANTIDADE DE ABSORÇÃO DE ÁGUA NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS DE MANTA DE FIBRA DE VIDRO-E E TECIDO JUTA


PALAVRAS-CHAVES:

Materiais compósitos poliméricos. Fibra de Vidro-E. Fibra de Juta. Absorção de Umidade. Propriedades Mecânicas. Proteção das bordas Laterais.


PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

O uso de fibras vegetais como reforço em compósitos poliméricos com o objetivo de substituir total ou parcialmente as fibras sintéticas tem recebido muita atenção nos últimos anos. As desvantagens do emprego dessas fibras em compósitos poliméricos estão associadas ao fato das mesmas serem hidrofílicas e, portanto a presença de umidade resulta uma fraca adesão com a maioria das matrizes e conseqüentemente um efeito negativo nas propriedades mecânicas destes compósitos. Uma maneira de se obter produtos com as propriedades desejadas é a hibridização, através da configuração de compósitos contendo camadas de fibras naturais e sintéticas. Neste trabalho de investigação foram avaliados parâmetros como a influência do tipo de configuração (disposição das camadas) e condições ambientais adversas, como a quantidade de absorção de água, nas propriedades de resistência e rigidez em materiais compósitos envolvendo reforços de fibras naturais, como a fibra de juta, e fibras sintéticas, como o vidro-E em matriz polimérica (poliéster Terortoftálica). Além disso alguns corpos de prova tiveram suas bordas laterais protegidas com resina afim de minimizar a absorção de água por essa região e consequentemente obter melhoras nas propriedades mecânicas. Os Compósitos foram submetidos aos ensaios de tração uniaxial e flexão em três pontos, ambos realizados nas condições seca e úmido saturado com e sem proteção das bordas laterais. As placas de compósitos foram confeccionadas na Hemfibra Tecnologia em Saneamento Ltda. Os resultados obtidos mostram que o laminado híbrido obteve um comportamento mecânico próximo ao laminado contendo apenas fibra de vidro, e melhor que o contendo apenas fibra de juta, quando avaliado em todas as situações, tanto seco como úmido saturado. Além disso, os corpos de prova que tiveram suas bordas laterais protegidas com resina saturaram com uma menor quantidade de água em um tempo maior, e suas propriedades mecânicas de tração uniaxial e flexão em três pontos foram melhores do que aqueles corpos de prova sem proteção das bordas no estado úmido saturado.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 347563 - EVE MARIA FREIRE DE AQUINO
Externo ao Programa - 5220696 - LUIZ CLAUDIO FERREIRA DA SILVA
Presidente - 1338331 - RAIMUNDO CARLOS SILVERIO FREIRE JUNIOR
Externo à Instituição - WANDERLEY FERREIRA DE AMORIM JÚNIOR - UFCG
Notícia cadastrada em: 16/12/2011 15:28
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao