Banca de DEFESA: ERALDO CAMARA DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ERALDO CAMARA DE SOUZA

DATA: 14/10/2010

HORA: 08:00

LOCAL: Sala A7 da Escola de Ciências e Tecnologia - UFRN

TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO PARA ALIMENTAÇÃO DE PÓS NANOMÉTRICOS PARA ASPERSÃO TÉRMICA EM TOCHA DE PLASMA


PALAVRAS-CHAVES:

Pós nanométricos, alimentador de pó, tocha de plasma.


PÁGINAS: 92

GRANDE ÁREA: Engenharias

ÁREA: Engenharia Mecânica

RESUMO:

Os pós nanométricos apresentam características especiais que geralmente resultam em novas propriedades, ampliando ou originando melhores aplicações nas diversas áreas de conhecimento. Devido ao fato de possuir uma alta razão área/volume, fenômenos como a força de adsorção de superfície tornam-se superiores ao peso, dificultando o seu manuseio. O alto poder de aglomeração dificulta processos como o de alimentação de pós em tochas de plasma, por exemplo. O objetivo do presente trabalho é desenvolver um alimentador de pós, para trabalhos com aspersão térmica, que são realizados em tocha de plasma de arco não transferido (plasma spray). Para tanto, foi confeccionado um dispositivo em alumínio, sendo realizados testes para verificar seu funcionamento e determinar sua taxa de alimentação durante aspersão de pós nanométricos de pentóxido de nióbio (Nb2O5) e dióxido de titânio (TiO2), com tamanhos de partículas inferiores a mesh 250 (< 0,063 mm). Foram utilizadas massas de 0,5 g - 1,0 g e 1,5g de cada pó, em testes com duração de 15 s - 20 s e 25 segundos para cada massa. Os ensaios foram realizados de duas maneiras: à pressão atmosférica utilizando-se gás argônio com fluxo de 9 l/min como gás de arraste e através de um tubo de Venturi utilizando também o gás argônio com fluxo de 9 l/min como gás de arraste e com fluxo de 20 l/min como gás de alimentação, passando pelo interior do tubo de Venturi. O alimentador de pó desenvolvido neste trabalho é de fácil construção e manuseio, obtendo-se taxas de alimentação de 0,25 cm3/min - 1,37 cm3/min. O TiO2 apresentou maiores taxas de alimentação que o Nb2O5 em todos os testes, e as melhores taxas foram obtidas com os ensaios utilizando massa de 1,5 g e tempo de 15 segundos, atingindo taxa de alimentação de 1,37 cm3/min. O fluxo de alimentação apresentou pouca interferência na taxa de alimentação durante a realização dos testes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347652 - CLODOMIRO ALVES JUNIOR
Interno - 348122 - FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA FONTES
Externo à Instituição - JORGE MAGNER LOURENÇO - IFRN
Notícia cadastrada em: 30/09/2010 16:04
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao