Banca de DEFESA: EVANILDO VICENTE DE OLIVEIRA NUNES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EVANILDO VICENTE DE OLIVEIRA NUNES
DATA : 28/08/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet: meet.google.com/uar-xjqt-xzf
TÍTULO:

ESTUDO DA DENSIFICAÇÃO E MICROESTRUTURA DO COMPÓSITO Cu-Grafite PREPARADO POR MOAGEM DE ALTA ENERGIA E SINTERIZADO POR SPS


PALAVRAS-CHAVES:

Moagem de alta energia; compósito cobre-grafite; sinterização por plasma pulsado, metalurgia do pó.


PÁGINAS: 113
RESUMO:

O compósito Cu-grafite é um material usado como contatos elétricos. Ele é um sistema imiscível, mas uma possível solução sólida metaestável pode ser exibida quando pós de cobre e grafite são preparados por moagem de alta energia. Nesse trabalho, foi investigado o efeito da moagem de alta energia, na produção de pós compósitos Cu-grafite nanocristalinos, amorfos ou com solução sólida metaestável de grafite na fase cobre. A influência da preparação desses pós na densificação e microestrutura das amostras sinterizadas também foi objeto de investigação, além do efeito provocado na condutividade elétrica desse compósito. Os pós foram preparados por mistura mecânica realizada manualmente e moagem de alta energia nos moinhos planetário Pulveriseatte 7 e SPEX 8000D. Pós de Cu e grafite na proporção de 5% em massa de grafite foram colocados para moer em um recipiente com bolas, de carbeto de tungstênio no moinho planetário e de aço inoxidável no moinho SPEX. No moinho planetário, a razão em massa pó para bola empregada foi de 1:5 e a velocidade de moagem foi de 400 rpm, sendo utilizada a atmosfera de argônio de alta pureza para realização das moagens nesse moinho. Os pós foram moídos por 50 horas e amostras de pós foram coletadas após 2, 10, 20, 30, 40h e 50h de moagem. A atmosfera de argônio e a razão em massa de pó para bola foram mantidas no moinho SPEX, no entanto, por se tratar de um moinho bem mais energético, utilizou-se tempos de moagens mais reduzidos, onde pós foram moídos por 1h e por 2h. Amostras de pós compósitos foram sinterizadas através da técnica de sinterização por plasma pulsado (SPS) a pressão de 25 MPa, 40MPa e 50MPa em matriz cilíndrica numa câmara de vácuo. Os compactados foram sinterizados a 650°, 700°C e 950oC durante 5 minutos de isoterma. A taxa de aquecimento usada foi de 100oC/min. Análise de microscopia ótica e eletrônica de varredura foram empregadas para observar a forma e distribuição de tamanho de partícula dos pós moídos bem como das estruturas sinterizadas. Análise de espectroscopia por energia dispersiva (EDS) foi utilizada para detectar a presença de contaminação nos pós moídos. A difração de raios-x foi usada para detectar as fases e observar o efeito da moagem nos cristalitos dos pós moídos. A densidade dos corpos sinterizados foi medida pelo método geométrico (massa/volume).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2613355 - FRANCINE ALVES DA COSTA
Interno - 2414250 - MEYSAM MASHHADIKARIMI
Externo ao Programa - 1674707 - MARCO ANTONIO MORALES TORRES
Externo ao Programa - 345842 - UILAME UMBELINO GOMES
Externa à Instituição - ARIADNE DE SOUZA SILVA - IFRN
Externo à Instituição - DANIEL ARAÚJO DE MACEDO - UFPB
Externo à Instituição - ANGELUS GIUSEPPE PEREIRA DA SILVA - UENF
Notícia cadastrada em: 20/08/2020 17:56
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao