Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCOS AURÉLIO DE OLIVEIRA MAIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARCOS AURÉLIO DE OLIVEIRA MAIA
DATA : 06/07/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 414 do CTEC - UFRN
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DA ILMENITA COMO FONTE DE OBTENÇÃO DE DIÓXIDO DE TITÂNIO


PALAVRAS-CHAVES:

Caracterização da ilmenita; Dióxido de titânio; Separação magnética.


PÁGINAS: 88
RESUMO:

A produção de dióxido de titânio industrial utiliza mais de 90% dos concentrados dos minérios de titânio produzidos pelas mineradoras no mundo, sendo o mineral ilmenita a principal fonte de obtenção dessa importante matéria prima, amplamente utilizada como pigmento na indústria de tintas, plástico, papel, borracha, cosméticos, produtos farmacêuticos, dentre outros. A ilmenita (FeTiO3) é um mineral de coloração escura à marrom avermelhada, constituída teóricamente por ferro (36,8%), titânio (31,6%) e oxigênio (31,6%), cristaliza-se no sistema hexagonal romboédrico, embora tal estrutura, possa sofrer mudança para uma fase amorfa FeO, Fe2O3 e TiO2. Este trabalho tem como finalidade caracterizar o mineral ilmenita, fonte de dióxido de titânio, do minério de ferro extraído da mina do Serrote da Pedra Preta do Município de Floresta-PE, Brasil, cujas características geológicas apresentam associações ferrotitanomagnetíticas, em rochas metamórficas do tipo retroeclogito. A metodologia compreendeu na coleta de material para caracterização física e mineraloquímica, de amostras de rochas in situ e amostras coletadas em pilhas de minério processadas na jazida, sendo denominadas de FLO 01- pilhas de minério grosseiro; FLO 02 - piso da cava; FLO 03 - taludes da cava e FLO 04 - pilhas de minério fino. As amostras foram cominuídas e classificadas em frações granulométricas no intervalo de > 4 e ≤ 325 mesh. As alíquotas nas frações granulométricas de 150, 200 e 325 mesh foram caracterizadas por ensaios FRX, DRX, MEV- EDS após homogeneização e quarteamento. Os minerais magnéticos como magnetita e a titanomagnetita associados a ilmenita e outros compostos contaminantes como o vanádio foram identificados nos resultados analíticos. Os pós referentes a FLO 02, preparados na fração de 16 mesh, apresentaram maior percentual de TiO2 e, por isso, foram submetidos ao processo de separação magnética via úmida, usando um separador magnético INBRAS, resultando na elevada concentração de ilmenita na fração magnética de alta intensidade (1C), correspondente a 64,20% do volume da massa recuperada. Os resultados analíticos obtidos por EDX, MEV-EDS e fusão por tetraborato de lítio - FRX, confirmaram os elevados teores de dióxido de titânio no minério ilmenítico, com variação entre 38,83% e 47,10% de TiO2. Nas frações magnéticas de baixa intensidade (1A) e nas de média intensidade (1B), os valores de pentóxido de vanádio oscilaram entre 0,68% a 1,92% de V2O5, o que são significativamente expressivos comparados aos verificados nas jazidas minerais de classe mundial.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2613355 - FRANCINE ALVES DA COSTA
Externo à Instituição - GILSON GARCIA DA SILVA - IFRN
Externo à Instituição - MARCONDES MENDES DE SOUZA - IFRN
Externo ao Programa - 345842 - UILAME UMBELINO GOMES
Notícia cadastrada em: 25/06/2018 15:22
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao