Banca de DEFESA: DANIELLE CARVALHO SILVA SPINOLA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIELLE CARVALHO SILVA SPINOLA
DATA : 05/03/2018
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório do Centro de Tecnologia - CT/UFRN
TÍTULO:

OBTENÇÃO DE UMA VITROCERÂMICA A PARTIR DE RESÍDUOS DA PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO E DO BENEFICIAMENTO DO CAULIM


PALAVRAS-CHAVES:

Resíduo da perfuração; resíduo de caulim; reuso; vitrocerâmica.


PÁGINAS: 58
RESUMO:

A produção de resíduos em várias indústrias tem sido uma preocupação recorrente nos últimos anos. Com o aumento da conscientização ambiental, várias recomendações sobre gerenciamento de resíduos têm sido elaboradas para proteger meio ambiente e sociedade, sendo a principal delas a minimização da sua produção. Quando impraticável, a próxima ação sugerida é o reuso ou reciclagem. Na indústria do petróleo, a perfuração de poços gera grandes volumes de resíduos que são depositados em aterros e acumulados por não terem uso específico. A indústria da extração mineral, da mesma forma, gera grandes quantidades de resíduos na preparação do produto para comercialização: cerca de 70% do volume extraído. Diversos autores estudaram a incorporação desses restos no desenvolvimento de novos produtos, principalmente cerâmicos, devido à heterogeneidade da sua composição. Este trabalho, então, tem o objetivo de desenvolver uma vitrocerâmica a partir de resíduos da perfuração de petróleo provenientes da bacia potiguar, e rejeitos do beneficiamento do Caulim do município de Equador/RN. Por ser uma proposta inovadora, as amostras de resíduos foram caracterizadas a fim de obter-se a melhor formulação baseada em uma composição SiO2- Al2O3-CaO-Na2O-K2O-MgO. A mistura de 10g de cascalho, 5g de caulim e 2,5g de Na2O foi então fundida a 1500ºC por 1h, obtendo um vidro depois submetido a análises de FRX, TG-DSC e DIL para embasar a elaboração da vitrocerâmica e um DRX com aquecimento para o estudo da densificação e cristalização do material. A vitrocerâmica foi sinterizada em forma de pó compactado em uma pastilha e como selante depositado sobre um metal, ambos a 800ºC por 30 minutos. Embora inviável a aplicação proposta, a estrutura da vitrocerâmica obtida foi analisada por MEV e EDS, comprovando a formação de uma estrutura cristalina a ser melhor avaliada em relação à sua construção e propriedades em estudos posteriores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Externo ao Programa - 1300987 - CARLOS ALBERTO PASKOCIMAS
Externo à Instituição - AURISTELA CARLA DE MIRANDA - UFPB
Externo à Instituição - DANIEL ARAÚJO DE MACEDO - UFPB
Notícia cadastrada em: 28/02/2018 11:16
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao