Banca de QUALIFICAÇÃO: JAYNA KÁTIA DIONISIO DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JAYNA KÁTIA DIONISIO DOS SANTOS
DATA : 23/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala F1 do Setor de Aulas IV - UFRN
TÍTULO:

RESISTÊNCIA RESIDUAL APÓS IMPACTO EM COMPÓSITOS HÍBRIDOS DE MATRIZ ESTÉR VÍNÍLICA REFORÇADA POR FIBRA DE VIDRO E KEVLAR


PALAVRAS-CHAVES:

Impacto drop test; Compressão Após Impacto; Resistência Residual; Compósito Híbrido; Vidro E; Kevlar 49.


PÁGINAS: 108
RESUMO:

A resistência ao impacto é uma das mais importantes características do material em um projeto em que se queria prever as possibilidades de fratura prematura. Dentre os impactos, o de baixa velocidade é considerado a solicitação mais comum, quando leva-se em consideração situações típicas de utilização onde esses impactos podem provocar danos internos no material comprometendo sua integridade. Diante disto, o presente estudo tem como objetivo fazer uma análise experimental e modelar a resistência residual à flexão em três pontos e compressão após o impacto (CAI), de dois tipos de laminados compósitos de matriz polimérica estér-vinílica, sendo um compósito híbrido reforçado com 11 camadas constituídas de 8 camadas de tecido bidirecional Vidro-E e 3 camadas de Kevlar 49, e para efeito de comparação, um outro laminado reforçado com 11 camadas de tecido bidirecional de Vidro-E, sujeitos a impactos de baixa velocidade (Drop test). A energia utilizada nesse trabalho para os dois tipos de laminados foi de aproximadamente 58J, de modo que, para o material compósito híbrido, foram necessários dois impactos consecutivos com a mesma energia para a perfuração do corpo de prova e consequente verificação da influência na resistência residual do laminado. Como resultado verificou-se que o laminado reforçado por fibra de vidro, na compressão após impacto apresentou resistência e módulo praticamente inalterados enquanto que para a flexão, a partir de 38,5mm de distância do impactador, as propriedades foram recuperadas de forma praticamente inalteradas quando comparadas aos ensaios realizados sem impacto. Já o laminado hibrido obteve maior resistência ao impacto, enquanto que apresentou um decréscimo tanto nas propriedades de compressão quanto em flexão em três pontos após impacto, em que, essa perda de integridade no híbrido pode ser justificada pela ocorrência de delaminação nas interfaces dos compósitos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 434906 - AVELINO MANUEL DA SILVA DIAS
Externo ao Programa - 1064594 - EVANS PAIVA DA COSTA FERREIRA
Presidente - 1338331 - RAIMUNDO CARLOS SILVERIO FREIRE JUNIOR
Notícia cadastrada em: 08/02/2018 15:33
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao