Banca de QUALIFICAÇÃO: LUIZ GUILHERME VIEIRA MEIRA DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUIZ GUILHERME VIEIRA MEIRA DE SOUZA
DATA : 15/12/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 414 do CTEC - UFRN
TÍTULO:

OBTENÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE UM COMPÓSITO HÍBRIDO DE MATRIZ POLIMÉRICA COM CARGA DE TECIDO PLANO DE ALGODÃO E TECIDO DE FIBRA DE VIDRO TIPO E


PALAVRAS-CHAVES:

Estudo de caracterização; Material compósito híbrido; Matriz poliéster; Tecido plano de algodão; Tecido de fibra de vidro tipo E.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

Nos últimos anos, a crescente procura por materiais renováveis, biodegradáveis e de baixo custo tem impulsionado o desenvolvimento de materiais compósitos de matrizes poliméricas e cargas compostas por fibras naturais. Atualmente uma vertente muito buscada no ramo dos materiais compósitos é a hibridização de fibras naturais com fibras sintéticas. A fibra de vidro talvez seja o elemento de reforço mais utilizado nas hibridizações. A facilidade de obtenção e de processamento, a alta resistência mecânica e o custo baixo são parâmetros que explicam essa massiva utilização. Essa pesquisa consiste de um estudo de caracterização de um material compósito híbrido com matriz poliéster e carga de tecido plano de algodão e de tecido de fibra de vidro tipo E. A utilização de um material derivado do algodão é uma aplicação que ajudará na revitalização dessa cultura no Nordeste, que traz não só benefícios econômicos e sociais para a população, como a mantém no campo. Foram ensaiadas três configurações para o material compósito proposto, com 4, 5 e 6 camadas de tecido plano de algodão e 5, 6 e 7 camadas de tecido de fibra de vidro. Foi feito um estudo de caracterização para avaliar algumas propriedades físicas, mecânicas, térmicas e de interação ambientais. Além disso, os compósitos foram analisados por microscopia eletrônica de varredura, após ruptura dos corpos de prova nos ensaios de tração, observando-se os mecanismos responsáveis pela ruptura dos compósitos. Todas as configurações do compósito híbrido apresentaram maior resistência mecânica que o compósito base e que a resina, demonstrando que os materiais adicionados à resina tiveram função de carga de reforço. As propriedades térmicas do compósito híbrido foram superiores às do compósito base e competitivas com as da resina poliéster, trazendo boas possibilidades para aplicações térmicas. A configuração com 6 camadas de tecido plano de algodão e 7 de tecido de fibra de vidro foi a de melhor resultado de resistência à tração, à flexão e ao impacto, sendo a última a mais incrementada. O ensaio de microscopia eletrônica de varredura evidenciou que houve aderência entre os dois tecidos e a matriz para todas as configurações, porém ocorreram fissuras, vazios e arrancamento de feixes de fibra, o que comprometeu a resistência mecânica do compósito, que poderia ter sido maior. Os resultados encontrados demonstraram de que o compósito estudado é uma interessante opção como material para engenharia, pois é ambientalmente amigável e apresenta boas propriedades físicas, mecânicas, térmicas e de interação ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 348080 - JOSE UBIRAGI DE LIMA MENDES
Externo à Instituição - NATANAEYFLE RANDEMBERG GOMES DOS SANTOS - NENHUMA
Interno - 2550377 - THERCIO HENRIQUE DE CARVALHO COSTA
Notícia cadastrada em: 05/12/2017 19:15
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao